Justiça mantém presa suspeita de torturar pedreiro após cobrança de dívida em SC

Mulher teria quebrado e queimado os dedos da vítima, após ele cobrar um serviço realizado

O TJSC (Tribunal de Justiça de Santa Catarina) negou a liberdade para uma mulher suspeita de torturar e tentar matar um pedreiro em Barra Velha, no Litoral Norte do Estado. O crime teria ocorrido após a vítima cobrar a dívida por um serviço.

Além da suspeita, outras três pessoas estariam envolvidas no crime.

Suspeita teria torturado o pedreiro após ele cobrar a dívida de um serviço – Foto: Internet/Divulgação/NDSuspeita teria torturado o pedreiro após ele cobrar a dívida de um serviço – Foto: Internet/Divulgação/ND

O caso teria ocorrido em 2019. De acordo com o MPSC (Ministério Público de Santa Catarina), ao cobrar os serviços, o homem acabou sendo dominado por pelo menos quatro pessoas, que o levaram até uma região deserta próximo a um lago.

No local, os agressores teriam deferido vários golpes de faca na vítima e socos, além de quebrarem e queimarem os dedos e os documentos dela com um isqueiro. O objetivo foi tentar ocultar a identidade após a morte.

Com a identificação de dois, dos quatro suspeitos, o mandado de prisão foi expedido em novembro de 2019. A mulher ficou foragida até dezembro do ano passado, quando se apresentou voluntariamente na delegacia da Polícia Civil.

Inconformada com a confirmação da preventiva na decisão da pronúncia, ela recorreu ao TJ, alegando que foi vítima de constrangimento ilegal por não ter sido submetida a audiência de custódia e apresentou-se por vontade própria. Ela também argumentou dizendo que é a única responsável por uma criança de 12 anos.

Porém, o colegiado da 5º Câmara Criminal do TJSC resolveu manter a prisão, com o objetivo de garantir a ordem pública e por conta da gravidade do crime. A decisão foi unânime.

Acesse e receba notícias de Itajaí e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Justiça SC