Mãe e filho são condenados por deixar cadela ao relento e ferida no Alto Vale do Itajaí

Caso de maus-tratos aconteceu em Rio dos Cedros em novembro do ano passado

Uma mulher e o filho dela foram condenados pela Justiça por maus-tratos contra animais após deixarem uma cadela ao relento, sem água e comida, e presa por uma corda a um cabo de aço – o que causou ferimentos no animal. O caso aconteceu em Rio do Oeste, no Alto Vale do Itajaí.

Mãe e filho são condenados por maltratar cadela no Alto Vale do Itajaí (imagem ilustrativa) – Foto: PixabayMãe e filho são condenados por maltratar cadela no Alto Vale do Itajaí (imagem ilustrativa) – Foto: Pixabay

O juiz substituto da Vara Única da comarca de Rio do Oeste, Eduardo Felipe Nardelli, determinou penas diferentes aos dois acusados. A mulher foi condenada a dois anos de reclusão, mas a pena foi substituída por prestação de serviços à comunidade ou entidades públicas.

O homem, que é reincidente segundo a Justiça, foi condenado a dois anos e quatro meses de reclusão, em regime inicial semiaberto. Cada um deles ainda terá que pagar o valor de um salário mínimo (da época do crime), corrigido, a título de reparação de danos. O valor será revertido a um órgão ou entidade determinado pela Justiça.

O crime

O crime ocorreu em novembro de 2020 e o animal, de raça desconhecida, foi encaminhado para um lar temporário. De acordo com a denúncia do MPSC (Ministério Público de Santa Catarina), de forma consciente e voluntária, os dois praticaram atos de abuso e maus-tratos contra o animal doméstico, pois o deixaram sem água e comida, bem como o acorrentaram de forma sufocante.

Nos depoimentos, mãe e filho apresentaram versões contraditórias sobre como o animal chegou ao local, de que forma os ferimentos aconteceram e sobre a situação de maus-tratos em que a cadela foi encontrada por uma vizinha.

Os dois condenados poderão recorrer da decisão em liberdade, mesma condição na qual responderam o processo.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Blumenau e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Justiça SC

Loading...