Moacir Pereira

Notícias, comentários e análises sobre política, economia, arte e cultura de Santa Catarina com o melhor comentarista politico de Santa Catarina. Fundador do Curso de Jornalismo da UFSC. Integrante da Academia Catarinense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, é autor de 53 livros publicados.


Monreal: Eduardo Moreira afirma que não houve decisão de mérito

Nota do ex-governador afirma que decisão judicial é sobre liminar na primeira instância

O ex-governador Eduardo Pinho Moreira divulgou nota a imprensa sobre a decisão do Tribunal de Justiça de decretar a indisponibilidade de bens de 12 pessoas, ex-dirigentes da Celesc, pelo rumoroso caso do Monreal, registrado há mais de 9 anos.  Enfatiza que o mérito não foi julgado, mas apenas uma liminar concedida na primeira instância.

Confira a nota: “Recentemente foram veiculadas notícias na imprensa sobre decisão do TJ/SC que determinou a indisponibilidade de bens de 12 pessoas e 2 empresas, em razão de ação civil pública que discute contrato firmado pela Celesc com empresa de cobrança. O ex-governador e ex-presidente da CELESC, Eduardo Pinho Moreira, esclarece que não se trata de fato novo, essa medida já foi requerida há quase 10 anos. À época, somente foi determinado o arrolamento de bens. O Ministério Público, então, recorreu em 2015 e já em caráter liminar foi deferida a indisponibilidade. A decisão desta semana apenas confirmou a indisponibilidade, que é um procedimento usual nesse tipo de ação para resguardar o interesse público até que a demanda seja julgada, não significando perda de patrimônio, nem antecipação de qualquer tipo de condenação ou juízo de valor. Apesar de já ter quase 10 anos, o processo ainda está em fase inicial, tendo a defesa prestado todos os esclarecimentos necessários, demonstrando que não cometeu nenhuma irregularidade. “Confio na Justiça e acredito que serei excluído da demanda antes mesmo da fase instrutória ou quando da prolação da sentença”.