Moradores de rua que mataram colega com faca e garfo em praia de SC são condenados pela Justiça

O crime aconteceu em 10 de maio de 2021, em Imbituba, no Sul catarinense

A Justiça de Santa Catarina condenou a mais de 66 anos os acusados pelo assassinato de Pedro Lucas Rosa Vargas. O crime aconteceu em 10 de maio de 2021, na Praia da Vila, em Imbituba, no Sul catarinense. Um dos envolvidos foi condenado a 24 anos de prisão, enquanto os outros dois a 21 anos e quatro meses de reclusão, todos em regime inicial fechado.

Crime aconteceu em maio de 2021, em Imbituba, no Sul catarinense – Foto: Google Maps/Divulgação/NDCrime aconteceu em maio de 2021, em Imbituba, no Sul catarinense – Foto: Google Maps/Divulgação/ND

Segundo os autos, o homicídio ocorreu na Rua Manoel Antônio de Souza, nas proximidades do posto do Corpo de Bombeiros. Naquele data, os criminosos e a vítima, todos em situação de rua, encontravam-se no local, onde inclusive preparavam almoço.

Após terem se desentendido por conta de bebida alcoólica, os três passaram a golpear a vítima com faca e garfo, causando-lhe 13 ferimentos no tronco e nos braços e o deixando caindo no chão.

Em seguida, os denunciados tomaram banho de mar e, no retorno, arrastaram Pedro até uma vala em um matagal, onde mataram e tentaram degolar o colega. Havia, inclusive, registros do momento no celular de um dos envolvidos.

Conforme sustentado pela promotora de Justiça Gabriela Arenhart no julgamento, os réus foram condenados por homicídio qualificado pelo motivo fútil, pela impossibilidade de defesa da vítima e pelo uso de meio cruel.

Presos preventivamente desde o crime, os réus também não terão direito de apelar da sentença em liberdade. A decisão é passível de recurso.

Passo a passo do crime

Segundo consta nos autos, os três indiciados mataram Pedro com uma faca e um garfo, desferiram diversos golpes, não dando nenhuma chance de defesa, já que era segurado por dois enquanto o outro desferia as facadas, revezando-se nos golpes.

Eles ainda tentaram ocultar o cadáver, arrastando-o para dentro de um mato, onde também tentaram degolar a vítima, mas a ação dos indiciados foi presenciada por testemunhas, que acionaram a Polícia Militar.

Ao chegar no local, os policiais abordaram os indiciados. Na ocasião, um deles confessou o crime e entregou os dois comparsas. Com um deles, foi apreendido um celular com várias fotos e filmagens do momento do assassinato.

Inclusive, conforme a polícia, eles tencionavam arrancar a cabeça da vítima, tal como é de costume da facção criminosa Bala na Cara, do Rio Grande do Sul, da qual fazem parte, para mandar aos líderes de lá.

+

Justiça SC

Loading...