MP pede arquivamento da investigação sobre o desaparecimento de Diego Scott em SC

MP pediu o arquivamento do caso por falta de provas de que os policias teriam cometido crime contra a vida de Diego Scott, desaparecido após uma abordagem policial em Laguna, no Sul de SC

Após sete meses do desparecimento de Diego Bastos Scott, 39 anos, o caso segue sem uma solução. Ele sumiu após a abordagem de dois policiais que o levaram na viatura depois da família acionar a Polícia Militar (PM) em Laguna, no Sul de Santa Catarina.

Por falta de provas, nesta sexta-feira (20), a 5º Promotoria de Justiça de Florianópolis do Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC) pediu o arquivamento do Inquérito Policial Militar que investigava os dois policiais quanto ao sumiço ou eventual homicídio de Diego.

Apesar da perícia no tablet da viatura ter concluído que ele não apresentava problemas no dia dos fatos e não teria motivo para estar desligado, como apontaram os policiais. A falta de provas como vestígios biológicos na viatura e nos carros particulares dos policiais, a falta de materialidade do corpo, entre outros. Foram os motivos alegados para o pedido do arquivamento.

Diego Scott, 39 anos, está desaparecido desde o dia 15 de janeiro – Foto: Diego Scott .Diego Scott, 39 anos, está desaparecido desde o dia 15 de janeiro – Foto: Diego Scott .

No pedido, o MP destaca que embora exista um nexo entra as condutas dos policiais e o desaparecimento de Diego. Bem como indícios de que ele possa não estar vivo, não há elementos suficientes que demonstrem a materialidade do crime. O caso poderá ser desarquivado caso o corpo ou Diego seja encontrado.

A mesma promotoria, já denunciou na Justiça Militar os dois policiais envolvidos na ocorrência por prevaricação e falsidade ideológica. O processo segue em andamento. No dia do desaparecimento, os policiais chegaram a alegar que não haviam levado Diego, mas uma câmera de segurança flagrou o momento que ele entra na viatura.

Família abalada com decisão

A família de Diego ficou arrasada e indignada com a decisão do MP. De acordo com o advogado da família, Breno Schiefler Bento, não existe o que se fazer judicialmente.

Em busca de respostas sobre o paradeiro e o que aconteceu com Diego, a família deverá buscar uma investigação particular. Em entrevista recente ao repórter da NDTV Criciúma, Juno César, o pai de Diego, Edson Scott, ex-jogador, disse acreditar que ele possa estar morto.

“Ele não tá mais sumido. Por isso que a gente desacreditou que ele tá desaparecido. Ele tá é morto. Mas onde? Aquele negócio se não tiver corpo não é assassinato”, lamentou Edson.

Relembre o caso

Com problemas de alcool e drogas, Diego Bastos Scott, 39 anos, as vezes incomodava a família. Costumeiramente a Polícia Militar era acionada para acalmar os ânimos, já que ele respeitava os policiais. Porém no dia 15 de janeiro, após mais uma chamada da família à PM ele não retornou para casa.

No dia do sumiço, 15 de janeiro deste ano, Diego saiu pela manhã e foi até um posto de gasolina onde começou a beber. Depois foi para a casa do pai e iniciou uma discussão pelo fato de ele o ter encontrado no Posto. Edson Scott tentou explicar que ele não estava perseguindo Diego, mas que tinha ido comprar um cigarro para a esposa.

Câmera de segurança registrou o momento em que Diego foi levado pelos policiais – Foto: Reprodução/NDTV RecordTVCâmera de segurança registrou o momento em que Diego foi levado pelos policiais – Foto: Reprodução/NDTV RecordTV

Após Edson chamar a Polícia, Diego voltou ao posto, onde os policiais supostamente o abordaram e tiveram uma conversa com ele para que não voltasse para casa. Já no período da tarde, ele voltou à casa e novamente a Polícia foi acionada. A mesma viatura com os mesmos policiais do período da manhã, atenderam a ocorrência novamente.

Eles conversaram com Diego e ele voltou para dentro de casa. Depois de um tempo ele pegou um cigarro e um isqueiro e foi para a frente da residência. Após cerca de 20 minutos, os policiais novamente apareceram na casa e chamaram a esposa de Diego informando que ele não iria mais incomodar.

Vizinhos, então, informaram a ela que os policiais haviam levado Diego na viatura da PM. Uma câmera de segurança flagrou o momento que eles o colocaram dentro da viatura. Após este fato, os policiais alegaram que o haviam abandonado na região de Laguna Internacional. Buscas com cães, helicóptero e com ajuda de amigos e familiares foram feitas, mas ele não foi encontrado.

+

Justiça SC

Loading...