Moacir Pereira

Notícias, comentários e análises sobre política, economia, arte e cultura de Santa Catarina com o melhor comentarista politico de Santa Catarina. Fundador do Curso de Jornalismo da UFSC. Integrante da Academia Catarinense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, é autor de 53 livros publicados.


Tribunal de Justiça mantém afastamento de dirigentes do Sistema Fecomércio

Câmara Criminal julgou mandato de segurança e habeas corpus

A 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado negou mandado de segurança e habeas corpus e manteve, por unanimidade, o afastamento temporário do presidente da Federação do Comércio de Santa Catarina e do Diretor Regional do Sesc.

TJSC – Foto: Divulgacão/JusCatarina/NDTJSC – Foto: Divulgacão/JusCatarina/ND

Assegurou, na mesma decisão. O comando provisório nomeado pelo Juiz de Direito para a continuidade dos serviços, enquanto perdurarem as investigações.

Por decisão judicial, os dois órgãos estão sendo administrados por interventor indicado pela Confederação Nacional do Comércio. Atua como interventor o empresário Luiz Carlos Bohn, de Porto Alegre.

Segundo nota da Procuradoria Geral de Justiça “os dois processos referem-se à operação Mercúrio. Todo o material apreendido está sendo analisado pelo GAECO, pelas Promotorias de Justiça e pela auditoria do Conselho Fiscal do SESC nacional, para instruir tanto o procedimento cível quanto o penal em curso, assim como o procedimento administrativo junto à entidade nacional. As próximas medidas estão sendo avaliadas.”

A Fecomércio impetrou mandado de segurança para fazer com que o vice-presidente da entidade assumisse a entidade, enquanto a defesa do então Presidente impetrou habeas corpus para retornar ao cargo.

Diz mais a nota da Assessoria do MPSC: “A Operação “Mercúrio” foi deflagrada pelo GAECO em conjunto com a 7ª e a 26ª Promotorias de Justiça da Capital.

Atendendo a pedido MPSC, a Justiça já levantou o sigilo da operação, que investiga possível esquema criminoso envolvendo desvio de bens, superfaturamento, pagamento ilícito de diárias e supostas fraudes para a aquisição de bens, locação e contratação de serviços e assédio no âmbito da administração do Serviço Social do Comércio (SESC).

A partir de uma representação, as Promotorias de Justiça começaram a apurar em 2018 uma possível compra superfaturada e direcionada de um equipamento de ginástica pelo SESC.

No decorrer das investigações, apareceram novos possíveis ilícitos que também envolveram a direção da Federação do Comércio de Bens, Servidos e turismo de Santa Catarina (Fecomércio). O presidente da Fecomércio também preside o Conselho Regional do Sesc.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.