Operação Chabu: TRF4 rejeita denúncia contra o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro

Após quase um ano a Justiça decidiu que o processo contra ele não deve seguir a diante; decisão ocorreu nesta quinta-feira, de forma unânime

A Quarta Seção do TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) decidiu durante um julgamento nesta quinta-feira (18) rejeitar a denúncia envolvendo o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, acusado de integrar uma organização criminosa envolvida em vazamentos de operações policiais, a chamada Operação Chabu.

Após quase um ano, TRF4 rejeita denúncia contra o prefeito Gean Loureiro – Foto: Gustavo Bruning/NDApós quase um ano, TRF4 rejeita denúncia contra o prefeito Gean Loureiro – Foto: Gustavo Bruning/ND

Como resultado, de forma unânime, o colegiado seguiu o voto do relator, desembargador Leandro Paulsen. Segundo a decisão do Magistrado, os fatos apresentados não demonstram indícios de autoria no crime de organização criminosa.

“Contudo, em se tratando de organização criminosa, esses fatos não permitem um mínimo juízo de estabilidade e de permanência no agir imputado ao Prefeito. Não indicam, igualmente, qual seria a usual tarefa de Gean na hierarquia criminosa, tampouco qual a ilicitude dos “atos’ por ele praticados. Não denotam mínima motivação do agir visando a um resultado ilícito, de qualquer natureza”, decidiu o desembargador Leandro Paulsen.

Em nota, o prefeito Gean Loureiro demonstrou-se aliviado com o fim de qualquer possibilidade de denúncia sobre o seu envolvimento.

“Chega ao fim um pesadelo que já durava um ano. Há exatamente 12 meses, eu e minha família fomos acordados na madrugada, fui tirado de casa e afastado do cargo de prefeito por, supostamente, manter uma sala secreta na prefeitura e receber informações sigilosas de contraespionagem sobre operações da polícia”, relatou o prefeito.

Leia também: 

Entenda o caso:

No dia 18 de junho de 2019, Gean Loureiro foi detido pela Polícia Federal. O fato foi o resultado de uma denúncia levantada para investigar uma possível “sala secreta” no gabinete do prefeito, como parte de organização criminosa responsável pelo vazamento de operações policiais.

Ele prestou depoimento na delegacia da Polícia Federal e foi liberado horas depois. Agora está livre das investigações.

Confira a nota do prefeito Gean Loureiro na íntegra:

Hoje, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região decidiu não aceitar a denúncia contra mim na Operação Chabu. Me inocentou antes mesmo de um julgamento. Chega ao fim um pesadelo que já durava um ano.

Há exatamente doze meses, eu e minha família fomos acordados na madrugada, fui tirado de casa e afastado do cargo de prefeito por, supostamente, manter uma sala secreta na prefeitura e receber informações sigilosas de contraespionagem sobre operações da polícia.

Ao longo desse periodo, a Polícia Federal pode comprovar que não havia nenhuma sala secreta em meu gabinete, e que tampouco recebi qualquer informação secreta.

Impossível esquecer o apoio e a força que recebi desde o primeiro minuto. Foram milhares de mensagens de confiança vindas desde amigos queridos até de pessoas que nunca havia encontrado antes.  A todos vocês, muito obrigado por acreditarem em mim, na minha palavra. Podemos não nos conhecer ainda, mas jamais esquecerei seu gesto.

Algumas poucas pessoas, com interesses políticos, me atacaram muito durante esses meses, a mim e à minha família. A eles, de coração, não desejo mal algum, pois, só podemos dar aquilo que temos dentro de nós. E eu não guardo o mal e nem rancor.

O que me importa, hoje, é poder dizer que a justiça foi feita, comigo e com Florianópolis. Porque isso tudo também machucou a nossa cidade. Mas o mundo gira, e a justiça sempre chega. Depois de uma tempestade sempre chega o sol.

Hoje a verdade foi restabelecida. Continuo acreditando, ainda mais, nas instituições, na Polícia Federal, Ministério Público, Poder Judiciário e, principalmente, na Justiça. E preciso registrar a competência e profissionalismo dos meus advogados Diogo Ptsica e Mauricio Natal Spilera, que fizeram uma grande defesa e sofreram comigo. Confesso que foram meses de muita dor, mas que me fizeram crescer mais como pessoa, como pai, filho, marido e como prefeito.

Quando fazemos as coisas certas, Deus está sempre do nosso lado. Vocês acreditaram em mim. E aqui está a prova, a decisão do Tribunal. Eu lhes devia isso. Já tirei quatro cópias dessa decisão, vou colocar num envelope e entregar a cada uma de minhas filhas. E pedir desculpas a elas, por terem que enfrentar tudo isso que aconteceu. Vou dizer a elas que hoje, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região, o mesmo que julga casos tão importantes como a Lava Jato, decidiu não aceitar a denúncia contra mim. O pai delas é inocente.

*Gean Loureiro

Prefeito de Florianópolis*

07 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
  • Luiz Claudio
    Luiz Claudio
    Conforme a decisão do TRF, as ações de imoralidade verificadas na conduta do prefeito, além de prevaricação também presente, não houve "comprovação concreta" de formação de organização criminosa. Conclusão: só imoralidade na administração municipal de Florianópolis.
  • Leandro Ribeiro Maciel
    Leandro Ribeiro Maciel
    Quando soube mm os do indiciamento do Gean no ano passado, quase não acreditamos no que estava acontecendo, por conhecermos a sua índole e o seu caráter. Os fatos e as "provas" não batiam. Acreditávamos que o julgamento pelo TRF4 poderia aplicar um "in dubio pro societa" e assim mandar que o nosso prefeito passasse a responder um processo. Mas enfim, rendemos graças ao Grande Arquiteto do Universo pela Justiça que lhe foi alcançada na data de ontem. Parabéns ao nosso irmão Gean e que congratule junto dos seus amigos, dos seua familiares, irmãos e dos competentes advogados que firmaram a sua defesa.
  • ANDRE
    ANDRE
    VOTO NELE NA PRÓXIMA ELEIÇÃO.

+ Justiça