Policial que comandava batalhão é condenado por ‘desviar’ marmitas em Itajaí

Segundo denúncia do Ministério Público, ex-comandante do 1º batalhão da PM mandava soldados levarem comida para a casa dele durante folgas

O tenente-coronel da reserva da Polícia Militar de Santa Catarina, Carlos Alberto Mafra, foi condenado a três anos e seis meses de reclusão em regime aberto por crime de peculato.

Segundo a denúncia do MPSC (Ministério Público de Santa Catarina), enquanto estava de folga, o ex-policial ordenava que soldados levassem marmitas com alimentos para a casa dele.

MPSC recorreu de absolvição em primeira instância – Foto: Divulgação/NDMPSC recorreu de absolvição em primeira instância – Foto: Divulgação/ND

Ainda conforme a denúncia, a entrega das marmitas pelos subordinados aconteceu entre 2008 e 2011, quando o tenente-coronel comandava o 1º Batalhão da Polícia Militar de Itajaí.

Testemunhas apontaram que Carlos pedia grande quantidade de comida, “que dava para alimentar duas pessoas”, segundo os relatos que constam no processo.

A condenação é em segunda instância, pelo Tribunal de Justiça do Estado. Carlos havia sido absolvido em primeiro julgamento por falta de provas, mas o Ministério Público recorreu.

Na nova decisão, o desembargador Zanini Fornerolli apontou que havia testemunhas suficientes para comprovar a prática do crime, mesmo que outras pessoas ouvidas afirmaram desconhecer a prática.

O advogado de Mafra, Guilherme Stinghen Gottardi, afirma que teve conhecimento da decisão na terça-feira (9), e que a respeita. Mas, por não concordar com a nova sentença, irá recorrer ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) para restabelecer a absolvição da primeira instância.

Leia também:

Acesse e receba notícias de Itajaí e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Justiça