Servidora do Judiciário é detida por suspeita de desvio de recursos públicos em Lages

Mãe e irmã da acusada também foram presas sob suspeita de receberem valores de contas antigas repassados pela servidora

Uma servidora pública foi detida temporariamente sob suspeita de desviar recursos da conta única do Poder Judiciário, em Lages. A mulher seria chefe de cartório da 4ª Vara Cível do Fórum Nereu Ramos e promovia a emissão de alvarás de contas antigas em nomes de terceiros (mãe e irmã), sem conhecimento ou assinatura do juiz.

A prisão provisória dos envolvidos ocorreu na sexta-feira (12), com apoio de uma equipe do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).

Equipe do Gaeco realizou a prisão preventiva de servidora pública e familiares da acusada – Arquivo/Divulgação/NDEquipe do Gaeco realizou a prisão preventiva de servidora pública e familiares da acusada – Arquivo/Divulgação/ND

Além da servidora, mãe e irmã da acusada seguem detidas provisoriamente. O caso será analisado pela 5ª Promotoria de Justiça de Lages, que solicitou o apoio do grupo de atuação especial após constatar irregularidades. O prazo para detenção provisória termina nesta terça-feira (16). O processo corre em segredo de justiça.

Leia também:

Segundo nota do Poder Judiciário, a investigação sobre a expedição de alvarás sem devida determinação judicial foi detectada através do Sidejud (Sistema de Depósitos Judiciais). Após verificar indícios de desvios, o Tribunal de Justiça iniciou os procedimentos de controle interno, com finalidade de verificar a existência desta e outras ocorrências suspeitas.

Para a comprovação das informações, foi utilizado um sistema que viabiliza o cruzamento de dados, conhecido como Bussiness Intelligence. Ainda segundo o Tribunal, o material coletado possibilitou o desencadeamento da operação, da qual os envolvidos responderão nas vias judiciais e administrativas.

+

Justiça

Loading...