Catarinense Adriana Füchter tem fotos publicadas em livro sobre obras do arquiteto Oscar Niemeyer

Olhar sobre curvas e concretos - Livro "Olhar Niemeyer" reúne fotos de 1.100 obras do arquiteto brasileiro em 11 países

Adriana Füchter / Divulgação / ND

Fotógrafa incluiu nove fotografias das obras de Niemeyer clicadas em várias cidades do Brasil

Antes das curvas do arquiteto Oscar Niemeyer, o Brasil era um polo importador de design arquitetônico alheio, um pouco açoriano, português, com pitadas à la francesa. Hoje com 104 anos, Niemeyer é considerado protagonista da construção do patrimônio e identidade nacional. Apaixonada por sua obra, a fotógrafa de Santa Catarina Adriana Füchter emprestou seu olhar sobre o legado do arquiteto para o mundo em fotografias impressas no livro “Olhar Niemeyer” (Editorial Teorema). A coletânea traz imagens do legado do brasileiro registrado por fotógrafos do mundo inteiro.

A obra foi publicada em 2009, e Adriana é a segunda fotógrafa com mais registros – nove no total. Ainda sem previsão de lançamento no Brasil, o livro circula apenas na Europa e algumas livrarias virtuais. “Admiro a pessoa dele e a arquitetura dele. Gosto do design, dos desenhos”, diz a fotógrafa. O livro conta com 1.100 obras de Niemeyer em 11 países.

Adriana aprendeu a apreciar arquitetura com o pai, admirador do concreto armado. Desde pequena, ele a estimulava a observar a história da arquitetura brasileira que brotava nas cidades. Foi então que em uma viagem a Brasília, em 2007, entusiasmou-se com a exposição que  retratava os 100 anos de Niemeyer e acabou descobrindo rastros do arquiteto em Florianópolis.

De volta ao lar, descobriu o Concurso Internacional de Fotografia Oscar Niemeyer 100 anos, coordenado pelo professor da Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa (Portugal), Carlos Oliveira Santos. “Já tinha um bom acervo de obras dele, selecionei 15 imagens para a curadoria do livro”, conta ela.

Mais do Mesmo

Para a fotógrafa Adriana Füchter, fotografar arquitetura parece mais fácil, por ser estático. Mas o desafio é trazer um novo olhar para aquilo que já foi visto antes tantas vezes, observando a luz e outros elementos. “O segredo é acreditar que é possível fazer alguma coisa diferente. Olhar para aquilo que olho todos os dias e adicionar algo diferente, uma pitada especial”, afirma.

Natural de Florianópolis, Adriana é formada em administração, mas teve a arte como caminho paralelo. Estudou música pelo Conservatório Brasileiro de Música no Rio de Janeiro, e estudou outras áreas artísticas como dança e pintura. Foi na fotografia que encontrou sua vocação. Hoje é artista sócia do Baobah Estúdios de Autocriação.

Saiba mais

O LIC (Lagoa Iate Clube), na Lagoa da Conceição, teve o projeto arquitetônico original criado por Oscar Niemeyer em 1967. Hoje pouco resta do traçado original devido a reformas. O arquiteto também criou em 1958 projetos para a Biblioteca Pública Estadual, no Centro da Capital, obra não executada.

“Olhar Niemeyer” (2009). De: Carlos Oliveira Santos. Editora: Editorial Teorema. 208 págs. R$ 103.

Acesse e receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Literatura