Dia da Saudade: um sentimento tão complexo quanto a palavra

Uma das palavras mais difíceis de se traduzir no mundo, a saudade expressa um sentimento de igual complexidade

O dia 30 de janeiro foi escolhido como o Dia da Saudade. Um sentimento tão contraditório e que faz parte das nossas vidas diariamente. Afinal, quem não passa por um pouco de aperto no peito ao lembrar de bons momentos, não é mesmo?

Saudade é a lembrança nostálgica de pessoas ou momentos – Foto: S. Hermann & F. Richter/Pixabay/ND

A palavra saudade tem origem do latim solĭtas, que significa unidade, solidão, desamparo. No Dicionário Aurélio, saudade é definida como: (substantivo feminino) sentimento melancólico devido ao afastamento de uma pessoa, uma coisa ou um lugar, ou à ausência de experiências prazerosas já vividas.

Leia também:

Ah, a saudade… Palavra e sentimento cheios de significados. A complexidade é tão grande, que a empresa britânica Today Translations classificou a palavra saudade como a 7ª palavra mais difícil de traduzir no mundo.

Por isso, durante muito tempo acreditou-se que nenhum outro idioma possuía um vocábulo equivalente à saudade. Em muitos idiomas, esse sentimento é expressado de outras formas.

No Inglês, por exemplo, o verbo “to miss” pode ser usado no sentido de “fazer falta”, mas não há um verbo específico para isso. Entretanto, o vocábulo polonês “tesknota” possui correspondência exata para a palavra saudade.

Ao mesmo tempo em que faz bem recordar momentos felizes e pessoas amadas, uma sensação de angústia pode surgir quando pensamos nisso. Apesar da dualidade do sentimento, a saudade ganhou tom romantizado no Brasil.

Escritores e poetas costumam recorrer à esta emoção com frequência em suas composições. Confira alguns poemas que tem a saudade como tema principal:

Saudade

Eu amo tudo o que foi

Tudo o que já não é

A dor que já não me dói

A antiga e errônea fé

O ontem que a dor deixou

O que deixou alegria

Só porque foi e voou

E hoje é já outro dia.

(Fernando Pessoa)

Soneto da Saudade

“Quando sentires a saudade retroar
Fecha os teus olhos e verás o meu sorriso.
E ternamente te direi a sussurrar:
O nosso amor a cada instante está mais vivo!
Quem sabe ainda vibrará em teus ouvidos
Uma voz macia a recitar muitos poemas…
E a te expressar que este amor em nós ungindo
Suportará toda distância sem problemas…
Quiçá, teus lábios sentirão um beijo leve
Como uma pluma a flutuar por sobre a neve,
Como uma gota de orvalho indo ao chão.
Lembrar-te-ás toda ternura que expressamos,
Sempre que juntos, a emoção que partilhamos…
Nem a distância apaga a chama da paixão”

(Guimarães Rosa)

+

Literatura