Jornalista narra em livro a história do Porto de São Francisco do Sul

Lançamento é hoje em São Francisco do Sul

Divulgação

Progresso. Visão atual do porto de São Francisco do Sul

As histórias a beira da Baía da Babitonga e do centro histórico estão registradas no livro “História do Porto de São Francisco do Sul”, de Nelci Terezinha Seibel, que será lançado hoje à tarde no Portal Turístico Naval. Uma história que começou a ser vivida antes do descobrimento de São Francisco do Sul, em 1504, quando era usada pelos índios que lá viviam. Depois , recebeu as grandes expedições que passaram pelo porto natural até a construção da atual estrutura, que foi inaugurada em julho de 1955, então com 50 metros de cais.

Recheada de fotos atuais, históricas e rica em detalhes, a obra também fala da construção da linha férrea e da Estrada Dona Francisca, que eram usadas para transportar cargas e passageiros até São Francisco do Sul. “A primeira locomotiva chegou pelo porto. Assim como a exportação de madeira e erva-mate para a Inglaterra e Chile”, conta Nelci. Textos do poeta Fernando Pessoa, que encontrava no mar a inspiração para escrever, também inspirou a escritora, que usou um poema do português na abertura de cada capítulo.

A escritora baseou-se em entrevistas e pesquisas em jornais, revistas, museus e arquivo da Câmara de Vereadores sobre a história do porto. Há registro em um jornal de 1910, mas também há descrição quem em 1884, o local era usado para a navegação por ser considerado ideal para ancorar, por ter águas calmas, profundas e sem assoreamento. Entre as descobertas, ade que o porto recebeu embarcações de todos os tipos e de todos os lugares do mundo.

O livro também relata a construção do Farol da Ilha da Paz, o fechamento do Canal do Linguado, a criação da Delegacia dos Portos, como era o comércio entre Joinville a cidade portuária e o crescimento da exportação e a construção da base naval de abastecimento na Ilha da Rita. A instalação das companhias marítimas mereceu um capítulo, sob o título “Empresas pioneiras da navegação”. A dificuldade para carregar os navios sem a atual tecnologia nem a força dos guindastes, também é contada no livro.

Além das pesquisas no Museu do Mar e na Câmara, ela também entrevistou dezenas de pessoas que trabalharam no porto e remexeram seus baús para Nelci contar esta história. Entre os relatos que ouviu dos francisquenses, em especial está de Jucemar Ozório que contou que era comum as jovens passearem a beira da Baía da Babitonga para paquerar quem chegava de barco na cidade para trabalhar. Ela até cedeu uma foto da época para Nelci. Entre as histórias de amor, está a de Josias Mora da Costa Gomes, que casou com Robélia, que conheceu a beira do mar. “A vida e a economia giravam em função do porto”, conta a escritora.

Retrato de uma época

Além de resgatar a história portuária, o livro que será lançado hoje por Nelci revela como os francisquenses viviam. “Há pianos, cristais e obras de arte nas casas das pessoas que entrevistei. No começo ficaram receosos em conversar comigo, mas atualmente temos uma boa amizade”, conta.

Para facilitar a vida do leitor, o livro tem uma linha do tempo e a história é contada seguindo a linha cronológica. Conta que a atual estrutura do porto começou a ser projetada em 1921, pois, antes, o trapiche era de madeira. A chegada dos guindastes, a dificuldade para construir a estrutura, a crise e a abertura das rodovias também são relatados no livro, assim como a modernização do porto e a chegada dos containers. “Não deixamos de fora o maior patrimônio do porto, que são os trabalhadores. Há um capítulo relatado as categorias e relembrando suas histórias”, diz Nelci.

Ao fim do livro, um capítulo está cheio de histórias pitorescas e algumas bem engraçadas, como a carga de bois que fugiu pelas ruas em pleno Carnaval e a de que dois oficiais estavam usando o uniforme de verão, de bermuda, e um policial achou que eles estavam de cuecas e os prendeu. “Também teve a história de que um empresário passou a vender meteorito como ferro. Isso mereceu até estudo para descobrir que material era aquele”, conta Nelci.

O livro começou a ser desenvolvido em 2005, com a fase das pesquisas. Depois de dois anos de pesquisa, pronto para ir para a gráfica, ficou parado. No ano passado, Nelci voltou a trabalhar no projeto, fez as devidas atualizações no texto e na tradução (a história também é contada em inglês) e vai apresentar o trabalho nesta tarde. Quem tiver interesse em adquirir a obra pode entrar em contato com a escritora pelo telefone (47) 3425-4090.



O quê: lançamento do livro “História do Porto de São Francisco do Sul”

 Quando: hoje, às 16h

 Onde : Portal Turísitico Naval, rua Babitonga, 62

 O quê: gratuito

Acesse e receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Literatura