Brasileiros perdem na estreia da luta olímpica em Tóquio e estão eliminados

Aline Silva e Eduard Soghomonyan não conseguiram vencer seus adversários e foram eliminados nas oitavas de final da modalidade

Os representantes do Brasil na luta olímpica dos Jogos de Tóquio, Aline Silva e Eduard Soghomonyan foram eliminados nas oitavas de final, primeira fase da modalidade.

Aline Silva fez boa luta mas não conseguiu vencer – Foto: Júlio César Guimarães/COBAline Silva fez boa luta mas não conseguiu vencer – Foto: Júlio César Guimarães/COB

Havia esperança de que ao menos um deles voltasse para a disputa, pois, conforme as regras, os atletas derrotados pelos finalistas ganham direito a repescagem, mas os algozes dos brasileiros foram eliminados na fase seguinte.

Em sua segunda Olimpíada após cair nas quartas no Rio de Janeiro, em 2016, Aline enfrentou a turca Yasemin Adar na disputa dos 76 kg da luta livre feminina e não teve vida fácil.

A brasileira, dona de duas pratas e um bronze nos Jogos Pan-Americanos, não conseguiu pontuar e perdeu por 6 a 0. Depois disso, Adar perdeu para a americana Adeline Maria nas quartas de final, encerrando as chances de repescagem para Aline.

“Eu dei meu máximo. É triste sair daqui sabendo que tudo que eu fiz, não foi o suficiente. Foi uma luta muito dura. Eu tinha que ter defendido melhor no primeiro round. A minha oponente se escondeu no resto da luta e eu não tive a chance de fazer melhor”, disse Aline após a luta na arena Makuhari Messe Hall A, em Chiba.

Na competição masculina, Eduard Shogomonyan lutou na categoria 130kg do estilo greco-romano, contra o alemão Eduard Popp, que venceu por 2 a 0 antes de ser eliminado pelo turco Rica Kayaalp nas quartas.

Brasileira está eliminada na primeira rodada da luta olímpica – Foto: Júlio César Guimarães/COBBrasileira está eliminada na primeira rodada da luta olímpica – Foto: Júlio César Guimarães/COB

Assim, foram extintas as chances de repescagem para Shogomonyan. Armênio naturalizado brasileiro, o lutador já havia representado o Brasil em 2016, quando também foi eliminado na primeira fase.

“Não foi um bom resultado, mas chegar aqui já é uma grande vitória. Representar o país nos Jogos Olímpicos de Tóquio, eu teria ficado muito feliz com a vitória. Foi difícil, ele conseguiu me rolar, só conseguiu perder de passividade. Não foi um bom resultado, mas foi uma dura luta. Mas temos que nos valorizar pois eles têm uma tradição maior na modalidade. Temos que valorizar onde chegamos”, avaliou o atleta.

Após as duas eliminações, o Brasil ainda terá a participação de Laís Nunes na categoria dos 62kg na luta livre feminina. A estreia da brasileira será na noite da próxima segunda-feira (2).

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...