Conteúdo por Gazeta Esportiva

Pugilista cubano vence Abner Teixeira, que conquista bronze em Tóquio

Brasileiro fica com a medalha mesmo após a derrota, uma vez que não há disputa de terceiro e quarto na modalidade

Nesta terça-feira, o pugilista cubano Julio la Cruz venceu Abner Teixeira, nos pesos pesados (até 91kg), nas Olimpíadas de Tóquio. Com a derrota, o brasileiro não se classificou para a final da categoria, mas garantiu a medalha de bronze.

O primeiro round foi equilibrado e contou com vantagem do brasileiro no início. Contudo, o cubano se recuperou no final e acabou vencedor de acordo com quatro juízes.

O segundo assalto também terminou com vantagem para la Cruz. Já no último round, o cubano foi mais agressivo e manteve a superioridade.

Com a derrota, Abner Teixeira não avançou à final. No entanto, por conta de a modalidade não ter disputa pelo 3º lugar, o brasileiro já havia garantido a medalha de bronze.

Abner analisou o confronto: “A luta foi um pouco agarrada, acho que foi estratégia dele e eu não estava conseguindo fazer o jogo dele, que era boxear. Ele acabou parando comigo na curta, não esperava. Mas, mesmo sem esperar, fiz o que consegui fazer: troquei com ele, tentei explodir, acertar o corpo dele, minar o gás. Mas ele acabou sendo melhor.”

“É a realização de um sonho, não só participei de uma Olimpíada, mas ganhei medalha. Significa muito para mim. Lá atrás eu não pensava tão alto em querer ser medalhista, só queria estar ali no meio. Estar aqui ganhando lutas e uma medalha no maior evento esportivo do mundo é muito significativo”, completou.

O medalhista de bronze enalteceu seu adversário e afirmou querer enfrentá-lo novamente.

“É um cara que assisto há muito tempo, é campeão mundial desde 2011. Enfrentar ele foi muito legal, uma experiência incrível. Infelizmente acabei perdendo a luta, mas foi um sonho. Estava muito focado ali na luta e tentando ganhar em todos os momentos. Faltou um pouco de soltura, mas foi uma boa experiência. Acho que ele vai permanecer na categoria, então espero encontrá-lo mais vezes”, disse.

Por fim, Abner vê boa perspectiva para o futuro do boxe brasileiro.

“Estamos prontos para qualquer coisa. Temos campeão mundial (na equipe), cara desconhecido cheio de gana. Estamos preparados para qualquer coisa. O Brasil hoje é uma potência no boxe”, concluiu.

Na disputa pelo ouro, Julio la Cruz enfrentará Muslim Gadzhimagomedov, do Comitê Olímpico Russo, na final.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Mais Esportes

Loading...