Amigos e entidades se despedem de Marco Antônio Peixer

Um dos principais nomes da imprensa esportiva de Joinville, Marco morreu aos 82 anos, vítima de pneumonia

A morte do locutor e comentarista esportivo Marco Antônio Peixer deixou toda uma comunidade de luto neste sábado (20). Apaixonado pelo rádio e pelo Joinville Esporte Clube ele deixou um legado e fez amizades pelas emissoras que percorreu durante a carreira.

Marco Antônio foi um dos grandes nomes da imprensa esportiva de Joinville – Foto:Marco Antônio foi um dos grandes nomes da imprensa esportiva de Joinville – Foto:

A voz marcante de Antônio Sebastião Peixer – nome de batismo dele – ecoou pelas ondas sonoras de Joinville por anos. Foi em 1960 que ele escolheu a cidade do Norte catarinense como morada e onde passou boa parte da vida.

Uma das figuras que esteve ao lado do comentarista foi José Mira, presidente da Acesc (Associação dos Cronistas Esportivos). “Começamos na Rádio Cultura, por volta dos anos 1970, e trabalhamos cerca de 13 anos juntos. Éramos amigos e irmãos, inclusive fazendo inúmeras viagens para transmitir os jogos”, conta.

Após anos em emissoras da cidade, ele fundou a rádio Floresta Negra e também teve passagens por outras emissoras locais. Inclusive, ele foi o primeiro comentarista esportivo da NDTV Record TV, nos anos 2000.

“O Marco era um apaixonado pelo rádio, que fazia com muita qualidade e paixão. Ele era uma pessoa especial, que todo mundo gostava. Ele era um apaixonado pela vida”, relembra o presidente da Acaert (Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão) e diretor regional do Grupo ND Joinville, Silvano Silva.

Ele foi um dos pioneiros na cobertura do JEC – Foto: Arquivo pessoal/Divulgação/NDEle foi um dos pioneiros na cobertura do JEC – Foto: Arquivo pessoal/Divulgação/ND

O mesmo sentimento é compartilhado pelo primo de Marco Antônio, o presidente da Câmara de Vereadores de Joinville, Maurício Peixer.

“Ele era um ser humano fantástico, apaixonado pelo JEC e pelo futebol. Quando alguém lhe pedia ajuda, tirava o que tinha para atender. Grande profissional do rádio, comentarista esportivo que marcou uma época de ouro do nosso esporte joinvilense. E como político foi exemplar, deixando seu nome registrado na nossa história como um dos melhores presidentes da Câmara que Joinville já teve”, disse.

Amigos de microfone

Quem teve a oportunidade de dividir os microfones lembra com carinho cada momento vivido com o comentarista.

“Ele é uma figura sensacional. Se o funcionário chegasse dizendo que tinha um problema, ele sempre ajudava. O Marco era gente fina, uma pessoa espetacular”, diz o radialista Enio Alexandre, que trabalhou com Marco Antônio no rádio e na TV.

O locutor esportivo, César Júnior, também relembra a importância que Marco teve na comunicação de Joinville.

“Eu lamento muito a morte do Marco Antônio, afinal, foram quase 15 anos de convivência profissional e de uma amizade que deixa saudades. Com dom e competência, soube construir uma carreira de sucesso na comunicação, principalmente, e na política.  Comandou equipes de comunicadores que lideraram a audiência na cidade e na região. Ele valorizava mais o radialista que o próprio rádio”, disse.

Marco fez história na cobertura esportiva de Joinville – Foto: Arquivo pessoalMarco fez história na cobertura esportiva de Joinville – Foto: Arquivo pessoal

JEC: a paixão que acompanhou desde o início

E como um bom profissional do esporte, ele não conseguia deixar de lado a paixão que sentia pelo JEC. Marco, inclusive, foi o responsável por empossar o primeiro conselho e presidente do clube, em 1976.

“Ele foi uma pessoa muito importante para a história de JEC e fez parte da construção do time. Em 2019, na última vez que esteve na Arena, ele ficou muito feliz. É de se lamentar a perda dele”, disse o atual presidente do Joinville, Charles Fischer.

Além disso, entre os amigos, a sensação é a mesma: Marco Antônio deixou um legado para o esporte da cidade.

“Eu sempre digo: ser conhecido é uma coisa. Ser conhecido e reconhecido é outra coisa. E ele foi reconhecido”, disse José Mira.

César foi um dos amigos e companheiros de Marco – Foto: César JúniorCésar foi um dos amigos e companheiros de Marco – Foto: César Júnior

Luta contra Alzhemeir

Nos últimos anos, Marco Antônio vinha sofrendo das complicações da doença de alzheimer, o que fez que ele tivesse que ter cuidados redobrados com a saúde.

“Ele estava bem debilitado pela doença, não reconhecia mais as pessoas. Estive algumas vezes com ele, mas infelizmente, por conta da Covid, não tivemos contato com ele”, lamenta Silvano.

Além disso, desde o ano passado, ele vivia em um lar de idosos em Balneário Camboriú após determinação da Justiça.

Marco também foi vereador de Joinville – Foto: Arquivo PessoalMarco também foi vereador de Joinville – Foto: Arquivo Pessoal

Marco morreu neste sábado (20) no Hospital Ruth Cardoso, na cidade litorânea, vítima de pneumonia. Ele deixa quatro filhos, cinco netas, três bisnetos e a esposa.

O velório do comentarista ocorrerá neste domingo (21) às 9h, na Capela São Jorge, no bairro Anita Garibaldi, em Joinville. Já o sepultamento está marcado para as 13h.

Veja a manifestação das entidades sobre a morte do vereador:

  • Câmara de Vereadores de Joinville 

“A Câmara de Joinville lamenta a morte do ex-vereador, ex-presidente da Câmara de Vereadores de Joinville, Sebastião Antônio Peixer, que todos conheciam por Marco Antônio Peixer. Ele morreu neste sábado, aos 82 anos, em Balenário Camboriú, vítima de pneumonia, segundo informou o filho dele em uma rede social. Até o fechamento desta nota, não dispúnhamos de informações sobre o velório e o sepultamento.

Marco Antônio foi presidente da CVJ na segunda metade da nona legislatura, entre os anos de 1981 e 1982. Ele chegou a Joinville em 1966 e trilhou carreira profissional no rádio. Figura carismática na política e no esporte locais, foi narrador esportivo e teve sua própria emissora, a extinta Floresta Negra FM. Torcedor fervoroso do JEC, deu posse ao primeiro presidente do conselho do clube, que, por sua vez, deu posse ao primeiro presidente, em 1976. Marco Antônio deixa esposa, quatro filhos, cinco netas e três bisnetos”. 

  • Federação Catarinense de Futebol 

A Federação Catarinense de Futebol (FCF) lamenta profundamente o falecimento de Antônio Sebastião Peixer, conhecido como Marco Antônio Peixer, aos 82 anos, vítima de uma pneumonia. Ele, que residia em Balneário Camboriú, foi um dos fundadores do Joinville Esporte Clube, foi vereador e presidente da Câmara municipal de Joinville, profissional da imprensa esportiva e também foi funcionário da FCF.

Marco Antônio Peixer iniciou a carreira na Rádio Jaraguá, de Jaraguá do Sul, e também teve passagens na imprensa pela Rádio Rio Negro, de Mafra, Clube Paranaense, de Curitiba, Tupi, do Rio de Janeiro e se destacou na equipe Seleção RC, pela Rádio Cultura de Joinville, em 1966.
Ele também foi empresário do ramo da comunicação, associando-se à Rádio Difusora, de Joinville, onde colocou no ar em 1979 a segunda emissora FM de Santa Catarina, a Floresta Negra. Marco Antônio também integrou o Conselho Administrativo da SC Participações e Parcerias (SCPAR).

Na televisão Marco Antônio foi um dos fundadores da TV Santa Catarina, de Joinville, mais tarde adquirida pela RBS TV onde foi comentarista esportivo. Mais tarde passou pela RIC TV Record e assinou coluna esportiva no jornal A Notícia.

A FCF, em nome do presidente Rubens Angelotti e diretoria, presta condolências aos familiares e amigos do Marco Antônio Peixer”.

  • Acaert 

“É com profundo pesar que Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão – ACAERT recebeu a informação do falecimento de Marcos Antônio Peixer, aos 82 anos, neste sábado (20) em Balneário Camboriú.

Peixer foi proprietário das Rádios Floresta Negra e Difusora de Joinville além de ter atuado como comentarista esportivo em emissoras de rádio e TV e trilhado a carreira política como vereador, quando foi presidente da Câmara de Vereadores de Joinvile no fim dos anos 1990.

A causa da morte ainda não foi informada, assim como o horário do velório e sepultamento.

Ele deixa quatro filhos, cinco netas, três bisnetos e a esposa.

Em nome da radiodifusão catarinense, registramos a nossa solidariedade aos familiares, amigos e aos colaboradores da emissora. Que o tempo ajude a amenizar a dor da perda”. 

  • JEC

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Mais Esportes