Lutador de Joinville volta ao ringue nos EUA em busca de mais US$ 1 milhão

Joinvilense Natan Schulte, 28 anos, já venceu duas vezes o título da PFL (Professional Fighters League) e está em busca do terceiro; primeira luta está marcada

Depois de mais de um ano sem lutar, o joinvilense Natan Schulte, 28 anos, atleta profissional de MMA desde 2011 voltará ao octógono nos Estados Unidos (EUA).

Natan Natan é um dos favoritos para faturar mais este campeonato: foco no treinamento e muita disciplina – Foto: Redes Sociais/Divulgação ND

Natan, conhecido como Russo, já venceu duas vezes o título da PFL (Professional Fighters League), uma das maiores ligas de artes marciais mistas do mundo, consagrando-se bicampeão mundial de MMA na categoria peso leve. A primeira foi em 2018. Faturou US$ 2 milhão com essas duas vitórias e agora está em busca da terceira. Será o mesmo formato de evento.

A primeira luta do campeonato de 2021 está marcada para o próximo dia 23 de abril em New Jersey, nos Estados Unidos, e Natan está entusiasmado (confira a entrevista abaixo). O joinvilense vai encarar o polonês Marcin Held, 29 anos, que tem mais vitórias, porém mais derrotas.

“Está quase na hora da próxima luta! Estou animado para lutar novamente em 2021! #mma #pflmma #fyp” escreveu em suas redes sociais.

Familiares de Joinville estão na torcida por Natan. A irmã Laíza Schulte escreveu nas redes sociais do irmão “O melhor”.

A reportagem do ND+ conversou com o lutador joinvilense na tarde desta terça-feira (13) para saber como está a expectativa para a luta rumo a mais um prêmio milionário.

ND+ – É a primeira luta da temporada, certo?
Natan
– Sim. Essa luta do dia 23/4 será a primeira da temporada e também o primeiro evento da temporada 2021 onde estarão na disputa atletas de duas categorias: Peso Leve (até 70 kg) e Peso 66 (até 66 kg). Todos os atletas dessas categorias estarão fazendo suas primeiras lutas neste dia.

ND+  – Quantas lutas, adversários terá de vencer para conquistar o campeonato?
Natan
– Primeiro, tenho de entrar nos playoffs, fazendo duas boas vitórias nas duas primeiras lutas. No playoff, são só quatro atletas. Cada categoria tem dez atletas e desses dez passam os quatro com os melhores pontos. E todas as lutas têm pontuações diferentes: se termina via nocaute ou finalização e dependendo do round ganha-se mais pontos.  A soma dos pontos das duas lutas é o que conta para os playoffs. Aí, se vencer nos playoffs, vai para a semifinal. Mas são quatro lutas ao total para chegar até a final do PFL.

ND+ – Pandemia: quanto tempo você ficou sem lutar? Como tem sido esse período?
Natan
– Eu fiquei um ano inteiro sem lutar. A temporada de 2020 foi cancelada por causa da pandemia. Só fiquei treinando, sempre focado.

ND+  – Quais são suas expectativas para esta primeira luta?
Natan –
Depois de todo esse tempo, estou bem ansioso para poder voltar a lutar. Como estava vindo de uma sequência de muitas lutas num período curto de tempo, ficar todo esse tempo sem lutar me deixou ainda mais com vontade de subir no octógono e lutar.

ND+ – A final do campeonato Professional Fighters League já tem uma data prevista?
Natan – Ainda não há uma data definida. Talvez seja dia 31 de dezembro deste ano, mas ainda não há 100% de certeza. Já há algumas lutas marcadas, como esta do dia 23/4 e a do dia 10 de junho, mas as outras lutas ainda serão marcadas.

A história de Natan

Temporada 2019: segunda luta do GP foi contra o canadense Jesse Rondon – Arquivo pessoal/divulgação/NDTemporada 2019: segunda luta do GP foi contra o canadense Jesse Rondon – Arquivo pessoal/divulgação/ND

Natan Schulte começou a treinar com 14 anos em Joinville. A primeira luta profissional foi em 2011, mas antes disso já havia disputado mais de 40 lutas amadoras, entre muay thai, kickboxing e jiu-jitsu. Chegou experiente e com uma boa bagagem no MMA.

Em Joinville, ele chegou a participar de algumas lutas profissionais. Depois, foi treinar no Rio de Janeiro e, em 2016, decidiu morar nos Estados Unidos.

“Sabia que a academia (na Flórida) onde treino hoje era o local onde havia mais atletas renomados, mais lutadores do UFC, então eu almejava muito. Há, também, muitos treinadores bons. A academia é grande e oferece uma estrutura que nenhuma outra academia do mundo oferece. Eu sempre assistia UFC e dentro das 10, 12 lutas, sempre havia uns 4 atletas vindos dessa academia”, contou Natan em outra entrevista concedida à reportagem do ND+.

Rotina de atleta

Sobre a rotina, Natan conta que treina bastante, se alimenta bem e descansa. “Como aqui na Flórida o clima é bom, consigo ter o privilégio de ir à praia, aos parques, coisas que a gente consegue fazer entre os treinos e aos fins de semana”, contou.

Bicampeonato em 2019 e o cheque das mãos de Mike Tyson

Natan Schulte derrotou Loik Radzhabov, do Tajiquistão, no dia 31 de dezembro de 2019 garantindo US$ 1 milhão. A luta decisiva aconteceu no Madison Square Garden, em Nova Iorque.

O joinvilense levou para casa US$ 1 milhão, além do cinturão de campeão que recebeu das mãos da lenda do boxe Mike Tyson.

Natan com o cheque e o cinturão de campeão que recebeu das mãos de Mike Tyson, lenda do boxe – Foto: arquivo pessoal, divulgação NDNatan com o cheque e o cinturão de campeão que recebeu das mãos de Mike Tyson, lenda do boxe – Foto: arquivo pessoal, divulgação ND

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Mais Esportes