“Morreu fazendo o que amava”, diz avó de garoto morto em queda de slackline

Amigos e familiares de Jonas Pereira da Silva, 21 anos acompanham, nesta segunda-feira, o sepultamento no Cemitério de Planaltina

Sob forte comoção, amigos e familiares dão adeus a Jonas Pereira da Silva, 21 anos, na manhã desta segunda-feira (30), no Cemitério Campo da Esperança, em Planaltina, no Distrito Federal. O praticante de slackline morreu após cair de uma corda a 50m de altura, no último sábado (28).

O jovem caiu de uma altura de 50 metros – Foto: Instagram/ReproduçãoO jovem caiu de uma altura de 50 metros – Foto: Instagram/Reprodução

Jonas praticava o esporte havia cinco anos. As informações preliminares dão conta de que ele estava com a cadeirinha de segurança e pode ter esquecido de amarrá-la na corda que fica ligada à fita.

A namorada do jovem, Alice Christina, 21 conta que o conheceu em fevereiro deste ano, no mesmo lugar em que Jonas morreu.

Jonas e Aline moravam juntos, desde abril. Os dois mantinham uma loja on-line, na qual vendiam joias em macramê, produzidas por eles. Agora, Alice diz que pretende dar continuidade ao trabalho. “Vou continuar o que começamos juntos”, contou.

“Jonas era leveza pura. Não existia um momento em que ele reclamava da vida. Ele sabia amar a natureza como ninguém mais”, contou. “Estávamos juntos há alguns meses, mas a sensação era de uma vida inteira”, completou.

“Uma pessoa maravilhosa, querida. Ele amava a natureza, era um defensor dos animais. Vai fazer muita falta”, afirmou Patrícia Maranhão Silva, tia do jovem.

Ao falar sobre o neto mais velho, Jesua Quaresma Maranhão, 64, não segurou as lágrimas. “Era um menino muito bom”, lamentou a avó.

Segundo ela, a família temia quando Jonas saía para praticar a modalidade. “Mas a gente sabia que ele adorava isso (o esporte). Eu tenho certeza de que ele morreu fazendo o que amava”, ressaltou.

+

Mais Esportes