Trio de cestinhas disputam o prêmio de Melhor Estrangeiro do NBB

Anthony, Shamell e Holloway foram os três principais pontuadores da temporada; Indicados ao troféu Melhor Pivô são divulgados

Kendall Anthony (Macaé) também concorre ao troféu de Melhor Armador
Kendall Anthony (Macaé) também concorre ao troféu de Melhor Armador

O prêmio de melhor estrangeiro da nona edição do NBB ficará nas mãos de um dos três principais cestinhas da temporada: Kendall Anthony (Macaé), Holloway (E. C. Pinheiros), e Shamell (Mogi das Cruzes/Helbor) . O vencedor será anunciado na Festa dos Melhores do Ano, no dia 20 (terça-feira), em São Paulo (SP).

Donos de um incrível poderio ofensivo, os três indicados somam médias incríveis na temporada. Anthony encabeça a lista, com 20,5 pontos, seguido de perto por Shamell, com 20,4. Já Holloway aparece no terceiro lugar, com 19,3.

Os três norte-americanos também concorrem a outros troféus nos Melhores do Ano do NBB. Anthony foi um dos três indicados ao posto de Melhor Armador, ao lado de Fúlvio e Kenny Dawkins, enquanto que Holloway e Shamell estão na disputa pela premiação de Melhor Ala, junto de Alex Garcia, Betinho, Lucas Dias e Marquinhos.

Criado na temporada 2013/2014, o prêmio de Melhor Estrangeiro só teve norte-americanos como vencedores. Atuando por Limeira, David Jackson faturou o troféu por dois anos seguidos. Já na última edição o premiado foi Shamell, que luta pelo bicampeonato desta categoria.

Seis disputam o troféu de Melhor Pivô

Jefferson William (Gocil/Bauru Basket), JP Batista (Flamengo), Lucas Mariano (UniCEUB/BRBCARD/Brasília), Olivinha (Flamengo), Renan Lenz (E. C. Pinheiros) e Tyrone (Mogi das Cruzes/Helbor) disputam dois lugares no Quinteto Ideal do campeonato. O troféu de Melhor Pivô será entregue na Festa dos Melhores do Ano.

Dos nomes presentes na lista, somente Jefferson já faturou o troféu, quando defendia o São José (temporada 2013/2014). Portanto, pelo menos um atleta garantirá o prêmio pela primeira vez na carreira. o jogador do Bauru, por sua vez, foi um dos concorrentes da categoria na temporada passada, assim como o norte-americano Tyrone. Os vencedores foram Hettsheimeir (Bauru) e Caio Torres (Paulistano).

Único finalista entre os candidatos, o camisa 11 bauruense é o cestinha e reboteiro da equipe na competição, com médias de 18,2 pontos e 6,6 rebotes por partida, além de expressivos 17,9 de eficiência. Mais do que números, o ala/pivô de 34 anos é um dos grandes líderes do Dragão e apareceu em momentos cruciais da campanha finalista do esquadrão do técnico Demétrius.

Mais novo entre os indicados, Lucas Mariano, de 23 anos, entrou na disputa após fazer a melhor temporada de sua carreira. O gigante do Brasília encerrou a competição com expressivas médias de 18,1 pontos, 6,5 rebotes e 15,8 de eficiência. O jogador, que também concorre ao prêmio de Jogador Que Mais Evoluiu, ainda foi o líder em enterradas do campeonato (24).

Olivinha é outro com uma temporada de respeito. O camisa 16 foi o líder em duplos-duplos da competição (15), e inclusive recebeu o apelido de Mr.Duplo-Duplo ao longo do campeonato. O camisa 16 do Flamengo foi o reboteiro da atual edição do NBB, com média de 9,5 sobras, além de 13,5 pontos e 19,4 de eficiência por duelo (o mais eficiente do time).

Outro atleta do Flamengo na briga é JP Batista. Em sua segunda temporada pela equipe carioca, o experiente pivô de 36 anos ajudou seu time com sólidas médias de 11,5 pontos, 6,2 rebotes e 14,4 de eficiência – a segunda maior do clube rubro-negro. O jogador concorre ao prêmio de Melhor Pivô pela primeira vez e encerrou a temporada como um dos destaques do atual tetracampeão.

Figurinha carimbada entre os melhores do campeonato, Tyrone está cada vez mais consolidado no basquete brasileiro. Em sua quinta temporada no campeonato, o atual campeão do Toneio de Habilidades aparece como concorrente a um dos troféus de Melhor Pivô pela primeira vez. Um dos pilares do forte elenco do Mogi, Ty fechou o campeonato com médias de 14,6 pontos, 6,6 rebotes (reboteiro da equipe) e 16,5 de eficiência.

Grata surpresa entre os candidatos, Renan Lenz, de 26 anos, teve sua evolução reconhecida e é outro que aparece pela primeira vez na disputa. Um dos destaques da surpreendente campanha do semifinalista E. C. Pinheiros, o gaúcho de Santo Ângelo (RS) acumulou cirúrgicas médias de 9,6 pontos e 3,2 rebotes na temporada, mas a participação mais crucial nos playoffs, nas séries contra Flamengo e Bauru.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Mais Esportes

Loading...