Aparecimento de serpente em costão, registrado em Florianópolis, é incomum, diz biólogo

Animal foi filmado em local onde pescadores faziam a vigia da tainha no Norte da Ilha de Santa Catarina; réptil flagrado não é peçonhento

O aparecimento de uma serpente em um dos costões da Praia Brava, no Norte da Ilha de Santa Catarina, no último domingo (17) é considerado incomum. Segundo o biólogo Emerilson Gil Emerim, o animal vive na Mata Atlântica e é provável que tenha chegado ao local a procura de alimentos ou para se aquecer.

Vídeo flagra serpente em local de vigia de pesca da tainha – Foto: Reprodução/ND

O animal foi filmado por um grupo de pescadores em uma pedra do costão da praia do Norte da Ilha. No vídeo, ela aparece enrolada uma camiseta. Com hábitos mais noturnos, a serpente avistada no Norte da Ilha é na verdade uma cobra-rasteira, da espécie Malpolon monspessulanus.

Leia também:

De acordo com Emerilson, por possuírem ‘’sangue-frio”, as cobras também costumam aparecer ao sol quando está mais quente para elevar a temperatura corporal.

O animal pode chegar a 2 metros e não é considerado peçonhento. Apesar disso, não é recomendada a aproximação com animal, que pode se sentir acuado e atacar.

O biólogo explica que além das cobras-rasteiras, a jararaca e a cobras coral falsa e verdadeira também são comuns em Florianópolis.

Crime ambiental

Importantes para a manutenção do meio ambiente, as cobras são protegidas pela legislação ambiental, que considera crime matar animais silvestres.

Caso encontre uma cobra em ambientes urbanos, a recomendação é de que acione a Polícia Ambiental ou o Corpo de Bombeiros.

+

Meio Ambiente