Após alargamento, recuperação da restinga em Balneário Camboriú vai custar R$ 1,5 milhão

Além do plantio de mudas, a recuperação da orla inclui a instalação de cercas e a criação de "trilhas" de acesso à praia

Balneário Camboriú reabriu o processo licitatório para contratação da empresa que vai recuperar a restinga da Praia Central, que está passando pelo processo de alargamento da faixa de areia. A reabertura da licitação foi nesta terça-feira (5).

O orçamento previsto pela prefeitura é de R$ 1,5 milhão. Isso inclui o plantio de mudas nativas da restinga, instalação de cercas e de trilhas para acesso à praia. As mudas devem ser plantadas longe do atual calçadão, que no futuro também deve ser reurbanizado.

Após alargamento, recuperação da restinga em Balneário Camboriú vai custar R$ 1,5 milhão – Foto: Prefeitura de Balneário Camboriú/DivulgaçãoApós alargamento, recuperação da restinga em Balneário Camboriú vai custar R$ 1,5 milhão – Foto: Prefeitura de Balneário Camboriú/Divulgação

O prazo de execução da obra é de 27 meses. A proposta inclui o plantio de mudas nativas de restinga, o monitoramento da área por pelo menos 2 anos, além da instalação de cercas e trilhas de acesso à praia.

Segundo a secretária do Meio Ambiente de Balneário Camboriú, Maria Heloisa Furtado Lenzi, a escolha das plantas que vão compor a restinga leva em consideração o sombreamento da praia, que, em Balneário Camboriú, acontece por volta das 15h.

Sombra dos prédios pode afetar a restinga?

Em setembro a Justiça proibiu a construção de prédios que façam sombra na Praia Brava, na vizinha Itajaí. Um dos motivos apontados para a decisão foi a preservação da restinga.

A oceanógrafa Débora Ortiz Lugli Bernardes recentemente concluiu uma pesquisa sobre o assunto, onde analisou o impacto do sombreamento em uma espécie de planta de restinga. Segundo ela, a pesquisa concluiu que, para a espécie analisada, comum na região, o sombreamento não possui impacto negativo.

“Essas plantas costumam se adaptar. Essa espécie, em específico, se adaptou a aproveitar o sol da manhã, que nasce no mar”, explica. Segundo ela, o que pode acontecer é que as plantas mais adaptadas permanecem, e as que não se adaptarem, acabam saindo. Isso reduz a diversidade da restinga.

Essa, no entanto, é uma preocupação recente, e não há muitos estudos nessa área.

Avanço da obra

A obra de alargamento da Praia Central de Balneário Camboriú segue avançando com uma média de 90 metros de alargamento por dia. Na última sexta-feira (1), a obra atingiu a marca de 1 milhão de metros cúbicos de areia.

Com este volume, foram recuperados 2,5 Km de praia. Da rua 4.000 até a Barra Sul a área recuperada já está aberta para os banhistas. As características da praia recuperada são muito próximas da praia original, segundo a prefeitura, com batimetria de 1 para 40, ou seja, a cada 40 metros para dentro d’água, a profundidade aumenta 1 metro. A obra segue agora em direção ao centro da Praia.

Trecho da rua 3.700 até o Molhe da Barra Sul já foi completamente concluído – Foto: Prefeitura de Balneário Camboriú/DivulgaçãoTrecho da rua 3.700 até o Molhe da Barra Sul já foi completamente concluído – Foto: Prefeitura de Balneário Camboriú/Divulgação

O preenchimento da rua 3.700 em direção ao Centro será feito até a altura da rua 2.200. Quando o preenchimento chegar na 2.200, a tubulação que traz a areia da draga até a praia será flutuada e removida a ponta que fica em terra até o trecho de praia diante desta rua, começando em seguida a dragagem daquele ponto em direção ao Pontal Norte, até completar o preenchimento de toda praia.

Essa remoção da ponta da tubulação principal da 3.700 até a 2.200 é necessária para que o material que vem impulsionado da draga chegue mais rápida e facilmente até o Pontal Norte.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itajaí e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Meio Ambiente

Loading...