Associação R3 Animal divulga balanço de 2020 com reabilitação de 303 animais marinhos

Entidade executa projeto de monitoramento de praias da Bacia de Santos em Florianópolis mesmo diante da pandemia do novo coronavírus

A Associação R3 Animal, que executa o PMP-BS (Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos) em Florianópolis, divulgou um balanço das atividades realizadas em 2020. Mesmo com o início da pandemia, o trabalho de monitoramento das praias e reabilitação dos animais não parou e resultou em 303 animais marinhos reabilitados, uma baleia jubarte desencalhada, além de 229 aves e quatro mamíferos resgatados em diversas praias de Santa Catarina pelas instituições executoras.

Registro de um leão-marinho-do-Sul (Otaria flavescens). Foto: Regina ReisRegistro de um leão-marinho-do-Sul (Otaria flavescens). Foto: Regina Reis

As gaivotas (Larus dominicanus) foram os animais resgatados com maior número, 175, seguido dos pinguins-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus), com 59 sendo devolvidos à natureza, e dos atobás-pardos (Sula leucogaster), com 30 aves reabilitadas, e das fragatas (Fregata magnificens) com 11. Outras 24 aves marinhas de 10 espécies diferentes foram resgatadas pelo projeto.

Três lobos-marinhos-do-Sul (Arctocephalus australis) e um lobo-subantártico (Arctocephalus tropicalis) finalizam a lista de mamíferos marinhos resgatados. Do total de animais reabilitados, 66 foram resgatados pela R3 Animal nas praias da Ilha. O restante foi resgatado e estabilizado pelas outras instituições que executam o PMP-BS no Estado.

Lobo-marinho-subantártico (Arctocephalus tropicalis) – Foto: Nilson Coelho/Divulgação/NDLobo-marinho-subantártico (Arctocephalus tropicalis) – Foto: Nilson Coelho/Divulgação/ND

As aves marinhas reabilitadas em menor número somaram 24 indivíduos de 10 espécies diferentes. São elas: uma pardela-preta (Procellaria aequinoctialis), um Mandrião (Stercorarius sp.), três Piru-piru (Haematopus palliatus), um Trinta-réis-de-bando (Thalasseus acuflavidus), dois Trinta-réis-boreal (Sterna hirundo), cinco Trinta-réis-de-bico-vermelho (Sterna hirundinacea), sete Biguás (Phalacrocorax brasilianus), um Albatroz-de-sobrancelha-negra (Thalassarche melanophris), dois Petreis-gigantes (Macronectes giganteus) e um Maçarico-grande-de-perna-amarela (Tringa melanoleuca).

Quanto a atuação da R3 Animal no monitoramento das praias da Ilha, foram registrados 1.548 animais marinhos ao longo do ano, dos quais 1.254 foram encontrados mortos e 294, vivos no momento do resgate.  As aves representaram o maior número, com 1.178 registros. A grande maioria (914) estava morta, enquanto 264 aves foram resgatadas com vida.

Soltura de pinguins. Foto: Divulgação R3/NDSoltura de pinguins. Foto: Divulgação R3/ND

Os pinguins-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus) tiveram 800 registros, dos quais 684 estavam mortos e 116 animais foram encontrados vivos no momento do resgate.  Os mamíferos marinhos somaram 70 ocorrências, dos quais 48 animais foram encontrados mortos e 22, vivos.

Os cetáceos (golfinhos e baleias) contabilizaram 31 ocorrências, com apenas um animal vivo. Trata-se da baleia-jubarte (Megaptera novaeangliae) desencalhada com sucesso na Lagoinha do Norte. Entre os cetáceos mortos, a toninha (Pontoporia blainvillei) teve 18 registros.

Entre os Pinípedes, houve o registro de 18 lobos-marinhos-do-Sul (Arctocephalus australis) mortos e 12 vivos. Outros sete registros de lobo-marinho-subantártico (Arctocephalus tropicalis) vivo foram feitos, incluindo o reavistamento do mesmo animal, e um leão-marinho-do-Sul (Otaria flavescens).

Soltura de uma ave Trinta Réis. Foto: Regina Reis/Divulgação R3/NDSoltura de uma ave Trinta Réis. Foto: Regina Reis/Divulgação R3/ND

As tartarugas marinhas somaram 300 registros, sendo de apenas oito animais vivos foram resgatados e encaminhados para reabilitação no Projeto Tamar Sul, em Florianópolis: sete tartarugas-verdes (Chelonia mydas) e uma tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta). O maior registro foi de tartaruga-verde, com 235 animais mortos e sete vivos.

Caso encontre um mamífero, ave ou tartaruga marinha debilitada ou morta na praia, ligue 0800 642 3341. O Centro de Pesquisa, Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos (CePRAM/R3 Animal) fica localizado no Parque Estadual do Rio Vermelho, unidade de conservação sob responsabilidade do Instituto do Meio Ambiente (IMA-SC), em parceria com a Polícia Militar Ambiental.

Albatroz-de-nariz-amarelo (Thalassarche chlororhynchos). Foto: Nilson Coelho/Divulgação R3/NDAlbatroz-de-nariz-amarelo (Thalassarche chlororhynchos). Foto: Nilson Coelho/Divulgação R3/ND

O PMP-BS é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal, conduzido pelo Ibama, das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural na Bacia de Santos. O objetivo é avaliar possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos encontrados mortos.

O PMP-BS está dividido em 15 trechos e é realizado de Laguna (SC) até Saquarema (RJ). Em Florianópolis, o Trecho 3, o projeto é executado pela R3 Animal.

Acesse e receba notícias da Grande Florianópolis pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Meio Ambiente