Casan tem até 180 dias para parar captação de água na Lagoa do Peri

Objetivo é diminuir o impacto da estiagem prolongada e garantir a qualidade de água no sistema de abastecimento

A Casan (Companhia Catarinense de Águas e Saneamento) tem até 180 dias para parar a captação de água na Lagoa do Peri, no Sul da Ilha, em Florianópolis.

Segundo o superintendente da Floram (Fundação Municipal de Meio Ambiente), Rafael Polleto, a companhia recebeu um ofício informando o prazo.

Lagoa do Peri – Foto: Bruna Stroisch/ND

A Casan também tem até 30 dias para apresentar um plano para interromper a captação regular na Lagoa e buscar outras fontes.

A estiagem reduziu o nível de água da Lagoa e um grupo de moradores pediu providências à Casan. A companhia tem autorização para captar 200 litros de água. No verão, informou que chegará a 25% de captação.

O objetivo é diminuir o impacto da estiagem prolongada e garantir a qualidade de água no sistema de abastecimento.

Por meio da assessoria de imprensa, a Casan informou que disponibilizou quatro engenheiros para falar sobre o conjunto de ações que está reduzindo a captação na Lagoa do Peri em 75%.

Ainda de acordo com a companhia, Florianópolis importa 65% da água para a população e a Lagoa é um dos raros mananciais que contribui com os 35% de produção local da Capital.

A Casan informou ainda que tem ações para a preservação da Lagoa para se contrapor a essa proposta de, “no curto período de seis meses, abastecer uma região onde vivem 141 mil pessoas”. Na Operação Verão, a Lagoa deverá estar contribuindo com 15% do abastecimento de alta temporada.

+

Meio Ambiente