Caso de fazendeira achada dentro de cobra píton volta à tona na web

Mulher de 54 anos teria sido engolida pelo animal após verificar a plantação de milho

Voltou a circular esta semana a história de uma fazendeira, de 54 anos, que foi encontrada após  ser engolida por uma cobra píton na ilha de Muna, na Indonésia.

Vítima foi engolida pela cobra depois de ir verificar a plantação de milho – Foto: ReproduçãoVítima foi engolida pela cobra depois de ir verificar a plantação de milho – Foto: Reprodução

A história, na verdade, teria ocorrido no dia 16 de junho de 2018. Segundo informações, Wa Tiba foi até sua plantação de milho, que fica a cerca de 800 metros da casa durante a noite. Ela teria ido até o local devido a preocupação com os javalis que estavam entrando na plantação.

Quando a família notou que a mulher não tinha retornado na manhã seguinte, resolveram ir atrás dela e somente encontraram um par de chinelos, uma lanterna e um facão.

Cerca de 100 pessoas da aldeia de Persiapan Lawela se dividiram para procurar a fazendeira e, no decorrer da busca, encontraram a cobra píton inchada, parecendo ter consumido algo grande. O animal tinha aproximadamente sete metros de comprimento e apresentava dificuldades para se locomover.

Os moradores, então, mataram a cobra e ao abri-la, se depararam com o corpo de Tiba com a mesma roupa que ela havia saído no dia anterior em que desapareceu.

Wa Tiba foi a segunda vítima encontrada dentro de uma cobra píton em mais de um ano no país. A região onde ela vivia é cercada por penhascos e cavernas, locais onde pítons são encontradas com frequência

É valido ressaltar que a cobra, normalmente, prefere se alimentar de mamíferos menores e raramente ataca humanos. A suspeita é de que a vítima já estava morta antes de ser engolida pelo animal.

Isto porque a píton imobiliza sua presa com uma mordida e em seguida, percorre o corpo da vítima e aperta sua circulação sanguínea até que ela pare e seja impossibilitada de respirar.

As informações foram apuradas pelo Metro World News e publicadas pelo The Washington Post.

+

Meio Ambiente