Com sistema de cruzamento de dados, SC deve acelerar o combate a crimes ambientais

Ferramenta, lançada nesta sexta-feira (4) pelo IMA, vai detectar, registrar e gerar alertas precisos de casos de desmatamentos no Estado

Santa Catarina tem, a partir desta sexta-feira (4), um sistema de ponta que monitora o desmatamento em áreas protegidas. Através de um sistema de cruzamento entre bancos de dados diversos, a ferramenta vai detectar, registrar e gerar alertas precisos e, assim, acelerar o combate a crimes ambientais.

combate a crimes ambientais em SCPrograma de preservação é inédito em SC – Foto: Cristiano Estrela/Secom/Divulgação/ND

Para alcançar os resultados propostos, o Simad (Sistema Integrado de Monitoramento e Alertas de Desmatamento), como foi chamado, vai usar imagens de satélite para comparar locais em diferentes períodos. A ideia é justamente mostrar o histórico da vegetação.

Segundo o IMA (Instituto do Meio Ambiente), o projeto tem alguns diferenciais, que o coloca em situação de destaque nacional. Filtros aprimorados – que melhoram a escala de mapeamento – e capacidade de atualização de pontos a cada 16 dias seriam destaques importantes.

Ferramenta traz rapidez na repressão de crimes

O diretor de Engenharia e Qualidade Ambiental do órgão, Fábio Castagna da Silva, destaca que o processamento dos alertas é realizado no próprio IMA, logo após a disponibilização das imagens de satélite – por isso, a repressão a crimes ambientais tende ser mais rápida.

Ferramenta deve garantir mais agilidade no combate a crimes ambientais Ferramenta deve garantir mais agilidade no combate a crimes ambientais – Foto: Markito/Santur/Arquivo/ND

“A expectativa com o sistema é também disponibilizar os alertas a outros órgãos de fiscalização e reduzir cada vez mais os desmatamentos ilegais em Santa Catarina”, destacou o presidente do IMA, Daniel Vinícius Netto.

Segundo ele, a ideia é consolidar “a posição de sustentabilidade do Estado que, ao mesmo tempo em que preserva os recursos naturais, também garante a origem legítima de seus produtos, principalmente aqueles provenientes do meio rural”, finalizou.

+

Meio Ambiente