Fabio Gadotti

Comportamento, políticas públicas, tendências e inovação. Uma coluna sobre fatos e personagens de Florianópolis e região.


Começa mobilização em Florianópolis pela defesa do Parque Ecológico do Córrego Grande

Lideranças querem evitar venda do imóvel do Ibama à iniciativa privada, que não renovou concessão da área ao município

Lago do Parque do Córrego Grande – Foto: Prefeitura de Florianóplis/Divulgação/ND

A falta de renovação da concessão por parte do Ibama e a intenção do governo federal de vender 355 bens do instituto em todo o país está fazendo com que lideranças comunitárias e políticas saiam em defesa do Parque Ecológico do Córrego Grande, em Florianópolis.

A área de 22 hectares foi concedida pela União ao município em 1996. Além de lazer, serve para atividades de educação ambiental.

Minuta de projeto de lei elaborado pelo Ministério do Meio Ambiente autoriza a alienação de imóveis considerados “desnecessários ou inservíveis às suas atividades institucionais”. Na semana passada, técnicos do Ibama fizeram uma vistoria no parque de Florianópolis, inventário que está sendo feito em todo o país.

A iniciativa, segundo nota publicada no site do ministério, “vai ao encontro da política de racionalização de gastos implementada pelo governo federal e permitirá ao Ibama gerar recursos que poderão ser revertidos não apenas à manutenção do patrimônio efetivamente utilizado, mas também à modernização e à racionalização da administração”.

“Não vamos permitir que essa área seja vendida”, afirma o vice-prefeito João Batista Nunes (PSDB), que está na linha de frente da mobilização na administração municipal.

João Batista, que era líder comunitário na época das tratativas para que o terreno da União fosse passado para a gestão municipal, disse que vai acionar a bancada federal catarinense e pedir apoio da Câmara de Florianópolis.