Entenda a relação ‘vulcânica’ entre o Morro do Cambirela e o Sul da Ilha

Crença popular intriga moradores e turistas sobre a existência de um vulcão inativo no morro da Praia do Matadeiro

Nos últimos dias, surgiu uma dúvida relacionada à uma possível ligação entre o Morro do Cambirela, em Palhoça, e o Sul da Ilha de SC, em Florianópolis. O nome ‘Suíte-Plutono Vulcânica Cambirela’, responsável pela questão, levantou a pergunta: há uma relação “vulcânica” entre os dois lugares?

A resposta é sim. Afinal, as rochas encontradas nos dois locais tem a mesma relação de tempo e espaço, tendo surgido há, mais ou menos, 580 milhões de anos.

A forma cônica dos morros pode ser responsável pela crença na existência de um vulcão  – Foto: Fotos Públicas/ Divulgação/NDA forma cônica dos morros pode ser responsável pela crença na existência de um vulcão  – Foto: Fotos Públicas/ Divulgação/ND

Toda a região que abrange o Cambirela e o Sul da Ilha foi denominada “Suíte-Plutono Vulcânica Cambirela”, exatamente por conta do morro palhocense. As rochas encontradas nesses dois lugares sofreram com as mesmas ações externas, causadas pela vegetação, tempo, chuva, temperatura e etc.

O próprio morro do Cambirela é composto por essa rocha, e estima-se que ele tenha sido formado na mesma erupção vulcânica que as rochas da Praia do Matadeiro, por exemplo.

Então, houve mesmo um vulcão nessa região?

Houve um centro vulcânico, mas quando a ilha nem era ilha ainda. E a formação das rochas não se dá por isso, e sim pela atividade vulcânica.

O termo “atividade vulcânica” se refere ao fato de estas rochas terem sido resfriadas já na superfície, e não ao que é comumente associado pelas pessoas (lava, erupções etc). Daí teria começado a formação das rochas.

Não se sabe ao certo como era a geografia do local na época, mas algumas teorias afirmam que, talvez, houvesse um centro vulcânico na Ilha e um no Cambirela, ou, então, apenas no Sul da Ilha.

Para chegar até Palhoça, o conduto da ilha teria guiado as rochas até o Cambirela, pois havia capacidade para elas se deslocarem por alguns quilômetros.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Meio Ambiente