Florestas Nacional de Chapecó e Três Barras terão concessão

Serviço Florestal Brasileiro e BNDES iniciaram parceria para ampliar as concessões florestais. A meta do Governo Federal é chegar a 4,8 milhões de hectares de Flonas concedidas até 2022

A Floresta Nacional de Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, terá contrato de concessão florestal com o SFB (Serviço Florestal Brasileiro). O Serviço ligado ao MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), contará com a competência do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) na estruturação dos contratos.

A meta do Governo Federal é chegar a 4,8 milhões de hectares de Flonas (Florestas Nacionais) concedidas até 2022. A parceria foi firmada com o início dos estudos para a estruturação da concessão das Flonas Irati (PR), Chapecó e Três Barras (SC). Pela primeira vez, florestas nacionais da Região Sul serão concedidas.

Flores Nacional de Chapecó é uma das únicas que receberá concessão. – Foto: Floresta Nacional de Chapecó/Divulgação/NDFlores Nacional de Chapecó é uma das únicas que receberá concessão. – Foto: Floresta Nacional de Chapecó/Divulgação/ND

Benefícios

A parceria prevê a recuperação da vegetação nativa no bioma Mata Atlântica. As áreas das Flonas do Sul passíveis de concessão somam 6 mil hectares.

O diretor de Concessão Florestal e Monitoramento substituto, José Humberto Chaves, ressaltou os benefícios da parceria, explicou que a expertise do BNDES vai colaborar para o desenvolvimento de um novo modelo de concessão florestal para a Região Sul, com a exploração de florestas plantadas e a sua substituição com o plantio de espécies nativas, prioritariamente. “Será uma prática diferente do que o SFB faz na Amazônia, que é o manejo sustentável de florestas naturais”, pontuou Chaves. 

A ministra da agricultura, Tereza Cristina, destacou a importância da cooperação entre as instituições para fortalecer a agenda de concessão florestal.

“Achamos um caminho com o BNDES para as concessões florestais. Vamos ganhar velocidade com um novo modelo que vai ampliar a área concedida dos atuais 1,05 milhão de hectares para 4,8 milhões de hectares até 2022. Esse é o início de uma caminhada muito exitosa para o manejo florestal sustentável”, ressaltou.

Segundo ela, o Brasil é e será por longo tempo o protagonista das finanças verdes. “Temos uma variedade de setores que estão inseridos de modo efetivo na sustentabilidade do Brasil. O envolvimento de todos esses atores nessa parceria vai destravar o Programa de Concessão Florestal em todas as regiões do país”, disse.

Economia Verde

O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, afirmou que a parceria marca a a criação “da nova fronteira das finanças verdes”. Ele destacou ainda que o mundo, o mercado financeiro e o BNDES estão focados para além do lucro financeiro, mas no lucro ambiental e social.

“Estamos aqui hoje desenvolvendo um novo modelo que vai posicionar o Brasil numa liderança das finanças verdes global. Temos a oportunidade e a obrigação de liderar a nova tecnologia das finanças verdes”, afirmou. 

De acordo com ele, o Brasil tem um mercado financeiro desenvolvido, democracia sólida e o maior patrimônio verde do planeta, seja na agricultura ou na floresta. “Temos todos os ingredientes para desenvolver e construir a nova fronteira tecnológica financeira da economia verde do planeta”, defendeu Montezano.

Floresta Nacional de Chapecó. – Foto: FNC/Divulgação/NDFloresta Nacional de Chapecó. – Foto: FNC/Divulgação/ND

Para o diretor-geral do SFB, Valdir Colatto, fazer o manejo sustentável das Flonas do Sul representa a produção de bens, a geração de riquezas e a possibilidade de acesso a outros projetos como o turismo e o plantio de mudas para recuperação de APP (Áreas de Proteção Permanente) na região.

“Um ponto importante é oferecer estrutura a essas áreas e fazer com que elas produzam e cumpram o seu papel de conservar o meio ambiente e desenvolver a região, de forma econômica e sustentável, por meio do manejo. Além disso, possibilitar a inclusão de projetos de turismo e pesquisa”, ressaltou Colatto.

Parceria

O SFB, em dezembro, assinou contrato com o BNDES para prestação de serviços de estruturação de concessão florestal em oito florestas públicas federais. Essa área foi dividida em dois blocos. O primeiro formado pelas Florestas Nacionais (Flonas) de Irati (PR), Chapecó e Três Barras (SC). O segundo bloco é formado pelas Flonas de Iquiri, Pau Rosa, Jatuarana, Balata – Tufari e da Gleba Castanho (AM).

As Flonas do Amazonas possuem uma área de 2,2 milhões de hectares que somadas com os 6 mil hectares das flonas do Sul totalizarão 2,8 milhões de hectares que terão o manejo florestal sustentável dentro da nova modelagem.

A parceria com o BNDES visa a conservação de florestas em áreas críticas com a manutenção da biodiversidade e o desenvolvimento econômico, por meio da promoção da bioeconomia e do desenvolvimento sustentável. Além disso, é prioritária a implantação de novos modelos para o setor florestal, com a qualificação e aprimoramento de novos modelos de articulação entre o setor privado, esfera pública e comunidade ESG.

Atualmente, estão em vigência 17 contratos que autorizam o manejo de produtos florestais madeireiros e não madeireiros, nos estados de Pará e Rondônia, que totalizam uma área de 1,05 milhão de hectares.  Nas áreas sob concessão, as ferramentas de monitoramento a as rápidas respostas dos concessionários e dos órgãos fiscalizadores dificultam as atividades ilegais, como desmatamento e garimpo.  

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...