Florianópolis se destaca no país e no mundo em sustentabilidade urbana

Avanço do programa Cultiva Floripa posicionou a capital catarinense entre as as oito cidades selecionadas para participar do Curso de Integração de Alimento, Água e Energia em Conexão

Florianópolis é uma das três cidades brasileiras que são referência hoje na implantação de programas de sustentabilidade urbana e foi convidada a participar como cidade orientadora no Curso de Integração de Alimento, Água e Energia em Conexão, promovido por um consórcio de seis organizações incluindo a FGV, Universidade de Yale, nos Estados Unidos e o Centro de Pesquisa em Sustentabilidade da Universidade de Estocolmo.

O Cultiva Floripa abriga hoje 199 hortas na Capital – Foto: PMF/Divulgação/NDO Cultiva Floripa abriga hoje 199 hortas na Capital – Foto: PMF/Divulgação/ND

O município se destaca no segmento pelo avanço do Programa Municipal de Agricultura Urbana em Florianópolis – Cultiva Floripa, implantado com o objetivo de levar para a população mais consciência e promoção da saúde e do bem-estar, por meio da promoção de práticas agroecológicas de reaproveitamento e incentivo no consumo de produtos saudáveis.

A apresentação da iniciativa local no curso foi realizada nesta semana pelos técnicos da Superintendência da Pesca e Secretaria de Saúde, Zenilto e Francisca.

Adriano Weickert, superintendente de Pesca, Maricultura e Agricultura de Florianópolis, ressalta que o município participa de uma série de encontros que ocorrerão até novembro deste ano.

Ele explica que o projeto IFWEN – Interconexão alimento, água e energia pretende compartilhar conhecimento para melhorar a governança de iniciativas inovadoras com potencial para mitigar os impactos das mudanças climáticas e construção da infraestrutura verde azul. “Foram selecionadas oito iniciativas entre 80 experiências, em 30 países, onde há uma troca de experiência, análise crítica de cada projeto e as contribuições para melhorias”, afirma.

Weickert acrescenta que Florianópolis está empenhada em se tornar mais autossuficiente em relação à provisão e inovação em Alimento-Água-Energia. “O Cultiva Floripa tem inovado na gestão compartilhada entre diversas secretarias, o que se destaca na indicação do município para integrar este projeto, assim como tem apoiado a cidade a enfrentar esses desafios à medida que aumenta a produção local de alimentos bem como apoia a gestão de resíduos. O projeto também potencialmente gera co-benefícios como redução de emissões de GEE (Gases de Efeito Estufa) ”, explica.

O superintendente enfatiza ainda que o interesse público, com a mobilização da comunidade, foi fundamental para a iniciativa crescer. “O município, por sua vez, forneceu as condições necessárias para esta expansão levando Florianópolis a se tornar uma cidade mais autossuficiente, sustentável e exemplo mundial de pratica de agricultura urbana”, diz.

Florianópolis está empenhada em se tornar mais autossuficiente em relação à provisão e inovação em Alimento-Água-Energia – Foto: PMF/Divulgação/NDFlorianópolis está empenhada em se tornar mais autossuficiente em relação à provisão e inovação em Alimento-Água-Energia – Foto: PMF/Divulgação/ND

Sobre o Cultiva Floripa

O Programa Municipal de Agricultura Urbana de Florianópolis – Cultiva Floripa – abriga hoje 199 hortas, sendo que, deste número, 117 estão ativas e recebendo a recuperação necessária. A Superintendência estuda a ampliação de 20 novas hortas, passando atender um maior número de pessoas e outras regiões.

Informações a um clique

Em julho o município também lançou o portal Cultiva Floripa (hyperlink), ferramenta que aproxima a população das ações voltadas para a agricultura urbana na cidade.

Disponibilizado por meio da Superintendência da Pesca, Maricultura e Agricultura, o portal traz mais transparência e facilidade no acesso às iniciativas na Capital catarinense. É possível acessar os cursos e oficinas oferecidos pelo Departamento de Educação Ambiental e Comcap, além de informações sobre as hortas comunitárias.

“O Cultiva Floripa vem, através da agricultura urbana, gerar espaços saudáveis com alimentos sem agrotóxicos, incentivando um comportamento mais ecológico e natural. É um raciocínio de educação ambiental para o acesso da população em geral”, diz o superintendente da Pesca, Maricultura e Agricultura, Adriano Roberto Weickert.

O portal é lançado em meio a um trabalho de conscientização da prefeitura sobre a importância da boa alimentação, melhoria da qualidade de vida, estímulo à compostagem, valorização das atitudes sustentáveis e aproveitamento de espaços públicos para lazer.

“A procura da população é bem grande. Há uma mudança comportamental em Florianópolis sobre viver e estar bem, sobre os cuidados com o corpo e com a saúde. Então, consequentemente tem uma maior procura por alimentos orgânicos, da agricultura familiar. Essa agricultura que se faz no quintal de casa, em terrenos baldios. Ou que a pessoa tem liberdade para ir ao posto de saúde buscar plantas medicinais através de orientação médica. Isso tudo faz com que tenhamos cada vez mais procura pelo projeto”, finaliza Weickert.

Conforme determina a Lei Municipal nº 10.199, de 27 de março de 2017, a Prefeitura Municipal de Florianópolis informa que a produção deste conteúdo não teve custo, e sua veiculação custou R$2.000,00 reais neste portal.

+

Prefeitura de Florianópolis

Loading...