Astronauta em missão fotografa erupção de vulcão nas Ilhas Canárias; veja a imagem

"É impressionante", disse o astronauta ao compartilhar a imagem; vulcão Cumbre Vieja entrou em erupção no último domingo (19)

Um astronauta em missão fotografou o momento em que o vulcão Cumbre Vieja entrou em erupção, na quarta-feira (22). O francês Thomas Pesquet, que está na Missão Alpha pela agência espacial européia, compartilhou a imagem na internet.

Vulcão Cumbre Vieja entrou em erupção neste domingo (19) – Foto: Reprodução/InternetVulcão Cumbre Vieja entrou em erupção neste domingo (19) – Foto: Reprodução/Internet

O vulcão localizado na ilha de La Palma, nas Ilhas Canárias, na Espanha, entrou em erupção neste domingo (19). Fumaça, cinzas e lava foram expelidas por volta das 16h30 (12h30 em Brasília), nesta que foi a primeira erupção do vulcão desde 1971.

Ao postar a foto, o astronauta escreveu em inglês, francês e espanhol, o seguinte texto:”o brilho alaranjado da lava, em contraste com a escuridão do Oceano Atlântico, é ainda mais impressionante. O brilho da lava parece muito próximo ao brilho das luzes da cidade.”

Segundo cálculos do Involcan (Instituto Vulcanológico das Ilhas Canárias), a erupção pode durar entre 24 e 84 dias, com média geométrica de cerca de 55 dias.

Veja a imagem:

Astronauta francês em missão registra erupção do vulcão Cumbre Vieja – Foto: Reprodução/Redes Sociais/NDAstronauta francês em missão registra erupção do vulcão Cumbre Vieja – Foto: Reprodução/Redes Sociais/ND

O vulcão Cumbre Vieja ganhou destaque no Brasil porque seria o único que em caso de erupção explosiva – nível mais alto de atividade vulcânica – poderia ser capaz de gerar deslizamentos e provocar até um tsunami, com força suficiente para alcançar a costa brasileira. O risco desse cenário acontecer, no entanto, é baixo.

A lava continua a arrastar tudo em seu caminho e desce em direção à costa da ilha de La Palma. Há o receio de que, quando se der o contato com a água do Oceano Atlântico, possam ser emitidos ainda mais gases tóxicos.

A erupção já causou a retirada de 6.100 pessoas, incluindo 400 turistas “que foram afastados das zonas de risco” e instalados em Tenerife, a maior das ilhas do arquipélago, de acordo com declaração do governo regional das Ilhas Canárias, feita ontem ao fim do dia.

Apesar dessa situação na ilha de 85 mil habitantes, não houve mortos ou feridos, mas os danos são enormes, acima de 400 milhões de euros, segundo o presidente da comunidade autônoma das Canárias, Angel Victor Torres.

Até agora, a lava destruiu 185 prédios, 63 dos quais podem ser casas, informou o governo regional.

+

Meio Ambiente

Loading...