FOTOS: Moradores são flagrados colocando fogo em área de ocupação irregular em Palhoça

Policiais e moradores do local entraram em confronto durante patrulhamento na última segunda-feira no mesmo local

Moradores que estão ocupando irregularmente uma área de propriedade privada no bairro Brejarú, em Palhoça, na Grande Florianópolis, foram flagrados colocando fogo em vegetação, na última terça-feira (25), e iniciando a construção de residências.

Pessoas ocupam área privada e limpam terreno para iniciar construção - Divulgação/ND
1 3
Pessoas ocupam área privada e limpam terreno para iniciar construção - Divulgação/ND
Imagem mostra pessoas colocando fogo em parte de vegetação para limpar o local - Divulgação/ND
2 3
Imagem mostra pessoas colocando fogo em parte de vegetação para limpar o local - Divulgação/ND
Além disso, algumas barracas estão sendo montadas no local - Divulgação/ND
3 3
Além disso, algumas barracas estão sendo montadas no local - Divulgação/ND

As imagens obtidas pele Grupo ND mostra que as pessoas estão colocando fogo em alguns pontos da vegetação e iniciando a construção de barracas no terreno localizado no final da rua Pascal Mazilli. Além disso, é possível ver pilhas de madeiras.

De acordo com o tenente-coronel Rodrigo Dutra, comandante do 16º Batalhão da Polícia Militar, a área vem sendo monitorada por cerca de uma semana.

“É um terreno em que algumas pessoas estão fazendo a limpeza e começaram a construção de alguns barracos. O proprietário nos procurou para pedir apoio e ficou de entrar com ação judicial para recuperar o local. Estamos fazendo o monitoramento através do batalhão aéreo todos os dias e recuando as barreiras para não atrapalhar a passagem de veículos”, explica o tenente-coronel Rodrigo Dutra.

Procurada pela reportagem do ND+, a Prefeitura confirmou que trata-se de uma área privada, “de forma que a administração pública não possui ingerência nessa questão”.

Além disso, a Prefeitura foi questionada sobre o andamento no processo de retirada e realocação das famílias e informou que, como se trata de propriedade particular, qualquer tipo de conversa ou negociação não tem relação com a prefeita. Completou ainda que o proprietário deve “buscar os seus direitos dentro das normas e procedimentos legais”.

Além disso, um vídeo mostra ainda que um rio passa pela parte de trás do terreno e, conforme repassado por fontes ouvidas pelo ND+, é necessário apuração sobre possível poluição.

Pessoas ocupam área privada e limpam terreno para iniciar construção – Vídeo: Divulgação/ND

Confronto com a polícia durante patrulhamento

Policiais militares e moradores da comunidade entraram em confronto na noite da última segunda-feira (24) enquanto o Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) realizava um patrulhamento.

“Na última segunda, aquelas pessoas que estão tentando pegar o pedaço de terra, que alegam que as famílias estão sem moradia, falavam que foram ameaçados. Desde então fizeram barricadas em torno do terreno para impedir o acesso dos supostos ameaçadores”, conta o tenente-coronel.

Ainda conforme o comandante do 16º BPM, houve uma conversa com uma das lideranças que atendeu o pedido para retirada da barricada e ficaram fazendo a limpeza do terreno.

“Ficamos fazendo o monitoramento através do batalhão aéreo e, até então, estavam apenas fazendo a limpeza”, conta o comandante.

Ainda de acordo com o 16º BPM, por volta das 21h de segunda, as guarnições abordavam um veículo quando foram surpreendidas por moradores que lançaram pedras, foguetes e montaram barricadas na estrada. Houve também disparos de arma de fogo. A abordagem ao veículo ocorreu por ser um ponto de venda de entorpecentes, segundo a PM.

“O Bope estava fazendo o patrulhamento por conta do tráfico de drogas e a presença de criminosos. Mas as pessoas entendera que era para retirar as pessoas do local. No momento, alguns criminosos aproveitaram o momento e dispararam contra a guarnição e precisou pedir reforço”, conta o comandante.

Vídeos registrados por moradores durante o confronto mostram a barricada em chamas e sons de disparos. Moradores dizem que ação policial é covardia e alertam sobre a presença de crianças no local.

A PM diz que revidou o ataque dos moradores com armas não letais e que foi “efetuado disparos de armamentos letais suficientes” para retomar o controle do local. Não houve apreensões e ninguém foi preso.

Foi solicitado o apoio de outras guarnições da PM, como o COBRA (Comando de Operações Busca Resgate e Assalto), o 7° BPM, o Choque e Canil. Nenhum policial ficou ferido. Não há informações sobre moradores feridos. Controlada a situação, as guarnições se retiraram da comunidade.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Meio Ambiente

Loading...