Futuro sustentável começa pela transformação ecológica

Grupo Veolia se consolida como referência neste processo e é líder em soluções para a gestão integrada de água, resíduos e energia para cidades e indústrias

Mensagens e informações trocadas e divulgadas instantaneamente ao redor do planeta. A urgência nas respostas, no trabalho, na vida. O ritmo frenético do mundo contemporâneo nos trouxe evolução, inovações, ferramentas que nem havíamos imaginado em nossas antigas idealizações sobre o futuro, mas também uma grande preocupação e a necessidade urgente de adotar práticas que garantam a construção de um futuro sustentável e a manutenção do planeta como o conhecemos hoje.

A Veolia  se dedica a promover uma verdadeira transformação ecológica e propõe soluções específicas para cada recurso com os quais opera: água, resíduos e energia – Foto: Juan Xavier Borja Avatar/ Veolia/Divulgação/NDA Veolia  se dedica a promover uma verdadeira transformação ecológica e propõe soluções específicas para cada recurso com os quais opera: água, resíduos e energia – Foto: Juan Xavier Borja Avatar/ Veolia/Divulgação/ND

Enquanto parte das grandes empresas mundiais busca as mudanças e tendências no universo digital, nas tecnologias, a Veolia, multinacional francesa com mais de 179 mil colaboradores, se dedica a promover uma verdadeira transformação ecológica e propõe soluções específicas para cada recurso com os quais opera: água, resíduos e energia.

E estas mudanças são urgentes e prioritárias. Relatório divulgado neste ano pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, sigla em inglês) aponta que as alterações climáticas causadas pelos seres humanos são irrefutáveis, irreversíveis e causaram um aumento significativo na temperatura do planeta.

Estima-se que as atividades humanas tenham causado cerca de 1,0°C de aquecimento global acima dos níveis pré-industriais. É provável que o aquecimento global atinja 1,5°C entre 2030 e 2052, caso continue a aumentar no ritmo atual.

 “A transformação ecológica já está em curso e os próximos anos serão provavelmente, em muitos aspectos, os mais dinâmicos de toda a história”, Pedro Prádanos Zarzosa, CEO da Veolia

Para a Veolia, essa transformação ecológica significa adaptar profundamente os padrões de produção e consumo, posicionar a preservação do meio ambiente no centro de todos os processos, análises e decisões. Desenvolver soluções incisivas e úteis para enfrentar os principais desafios, com e sociedade civil, os municípios, indústrias, sociedade civil e colaboradores.

Pedro Prádanos Zarzosa, CEO da Veolia: será imperdoável para os decisores se não conseguirem alterar o modelo anterior de desenvolvimento, ineficaz e poluente – Foto: Veolia/Divulgação/NDPedro Prádanos Zarzosa, CEO da Veolia: será imperdoável para os decisores se não conseguirem alterar o modelo anterior de desenvolvimento, ineficaz e poluente – Foto: Veolia/Divulgação/ND

“A transformação ecológica já está em curso e os próximos anos serão provavelmente, em muitos aspectos, os mais dinâmicos de toda a história. Será imperdoável para os decisores se não conseguirem alterar o modelo anterior de desenvolvimento, ineficaz e poluente. Inversamente, será reconhecida a sua capacidade de contribuir para um novo amanhã mais resiliente, inclusivo e sustentável”, ressalta Pedro Prádanos Zarzosa, CEO da Veolia.

Soluções para o reaproveitamento dos resíduos

Para efetivamente realizar essa transformação, a Veolia implementa soluções utilizadas no reaproveitamento e melhor uso desses recursos. Uma destas iniciativas apoia os produtores de resíduos orgânicos, como as cascas de frutas, na coleta e transformação destes recursos em energia e fertilizantes.

A ação valoriza os orgânicos, que simultaneamente reduzem as emissões de gases de efeito estufa emitidas por estes resíduos, caso não fossem aproveitados, e atende às necessidades de vários setores econômicos. As centrais de abastecimento do país estão entre os empreendimentos que mais têm buscado recursos e ações para a destinação correta de seus resíduos.

Em Santa Catarina, esse reaproveitamento é realizado desde abril, em um projeto pioneiro realizado na Ceasa (Centrais de Abastecimento) do Estado, que será realizado como teste e servirá de modelo para todo o país.

Aproveitamento de 80% dos resíduos

De acordo com a Ceasa, antes da implantação da iniciativa, dez toneladas de resíduos de hortifruti seriam descartados no lixo, que vai para o aterro sanitário, todos os dias. Os primeiros resultados da iniciativa implantada no local apontam que, em um período de 18 horas, foi possível reaproveitar 80% desse volume.

Chamada de Living Lab, a proposta prevê que 100% dos resíduos orgânicos gerados no local sejam agora devidamente destinados.

Solução da empresa transforma resíduos orgânicos, como as cascas de frutas, em energia e fertilizantes – Foto: Veolia/Divulgação/NDSolução da empresa transforma resíduos orgânicos, como as cascas de frutas, em energia e fertilizantes – Foto: Veolia/Divulgação/ND

O grupo Veolia participa deste projeto e, por meio de uma de suas soluções, esse material orgânico produzido no local é transformado em compostagem e retorna para a cadeia produtiva como biofertilizante.

Para isso, foram disponibilizadas caixas estacionárias de 5m3 para que os permissionários possam destinar os resíduos orgânicos gerados. O material é recolhido e enviado para o Centro de Gerenciamento de Resíduos de Biguaçu, para compostagem. O produto final é disponibilizado para a Ceasa/SC.

A intenção é ampliar o índice de valorização dos resíduos por meio da compostagem, promovendo a economia circular e o desenvolvimento de cadeias de valor a partir dos resíduos existentes na Ceasa/SC. O composto pode ser utilizado junto à comunidade, desde que atenda às condições ambientais legais.

O Brasil produz quase 37 milhões de toneladas de lixo orgânico. Esse resíduo tem potencial para virar adubo, gás combustível e até mesmo energia elétrica, favorecendo a rentabilidade econômica e sustentável. No entanto, apenas 1% do que é descartado é reaproveitado, segundo pesquisa da Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. Não tratado, o lixo orgânico vai para os aterros sanitários, e com o período de decomposição, esse material gera gás metano, substância nociva à atmosfera.

Soluções da Veolia para os recursos naturais

O grupo Veolia atua e se consolida hoje como referência na transformação ecológica. Presente nos cinco continentes, em mais de 80 países, com mais de 179 mil colaboradores, a empresa é líder em soluções para a gestão integrada de água, resíduos e energia para cidades e indústrias.

Para a água, o grupo realiza a gestão completa do ciclo com tratamento da água de produção e de efluentes, entregando resultados em parâmetros como qualidade, redução do consumo, maximização do reuso e aumento de eficiência.

Em energia, a Veolia desenvolve soluções de diversificação da matriz energética, eficiência, geração e cogeração de energia verde e operação de utilidades (eletricidade, vapor, ar comprimido, água gelada/quente, CO2, dentre outros), com garantia de desempenho para as indústrias. A empresa oferece ainda  uma série de soluções para que os clientes atinjam as metas ESG em seus negócios.

Dentro do seu processo de transformação ecológica, a Veolia tem um foco muito forte na recuperação e na valorização energética. O grupo opera mais de 90 plantas de recuperação energética (Waste-to-Energy) no mundo para tratar resíduos sólidos (perigosos e não perigosos) enquanto gera energia renovável.

Em 2020, o Grupo Veolia levou água potável para 95 milhões de pessoas e ofereceu serviço de saneamento para 62 milhões, produziu cerca de 43 milhões de megawatt/hora e valorizou 47 milhões de toneladas de resíduos.

Saiba mais sobre a Veolia

+

VEOLIA – A transformação ecológica é o nosso propósito

Loading...