Jardim Botânico de São José cria estrutura para abrigar “abelhas solitárias”

A maioria das espécies brasileiras de abelhas prefere a solidão e não vivem em colônias. No hotel, as abelhas têm opção de diversos tipos de quartos

Ao contrário dos locais de hospedagem convencionais, os chamados Hotéis para Abelhas Solitárias não lotam na alta temporada e sempre têm lugar para mais um “hóspede”.

Cada vez mais comum pelo Brasil a fora, esse tipo de estrutura permite abrigar abelhas em qualquer quintal e, nesses tempos de agrotóxicos em profusão, também ajudam a proteger esses bichinhos importantes para o planeta.

Hotel para Abelhas Solitárias do Jardim Botânico de São José – Foto: Gabriel Lain/NDHotel para Abelhas Solitárias do Jardim Botânico de São José – Foto: Gabriel Lain/ND

Um hotel para abelhas foi construído no Jardim Botânico de São José no ano passado. Feita com diversos materiais, como argila e bambu, a estrutura chama a atenção de longe, com o diferencial de dispensar reservas – é só chegar e entrar!

O complexo hoteleiro do Jardim Botânico oferece cinco tipos de acomodações, todas com vista para o jardim. O “hóspede” pode optar por uma estadia compartilhada com outros visitantes ou um quarto reservado, onde terá a privacidade garantida.

As abelhas podem escolher entre diversos aposentos – Foto: Gabriel Lain/NDAs abelhas podem escolher entre diversos aposentos – Foto: Gabriel Lain/ND

Educação ambiental

Os andares do hotel dispõem de tijolos, troncos de madeira, pedaços de bambu e barro para que as abelhas optem pelo que for mais confortável e de acordo com seus hábitos. Toda a estrutura foi construída com material reaproveitável, com a ajuda de escoteiros.

“Construímos o hotel para abelhas solitárias pensando em três aspectos fundamentais: educação ambiental, preservação das espécies e o fato de as abelhas representarem 66% dos polinizadores das mais variadas culturas que nos garantem o sustento”, explica Sergio Stähelin, diretor do Jardim Botânico de São José, que também pode ser visto como o “gerente” do hotel.

Stähelin destaca que a maioria das espécies brasileiras de abelhas prefere a solidão e cava ou procura espaços em barrancos, paredes ou árvores para morar.

Visitas

O Hotel para Abelhas Solitárias pode ser visitado, do lado de fora, por humanos, de segunda a sábado, das 9h às 17h. O Jardim Botânico fica na rua Cauassú, no bairro de Potecas.

Leia também:

Com verde e pouco calor, parques de Palhoça e São José são alternativas à praia

Acesse e receba notícias da Grande Florianópolis pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Meio Ambiente