Chuva e maré astronômica aumentam risco de erosão no Morro das Pedras, em Florianópolis

Segundo a Defesa Civil municipal, a previsão de chuva forte e mar agitado nos próximos dias pode agravar os danos causados na orla e até derrubar parte das edificações na área afetada

A Defesa Civil de Florianópolis alertou para a previsão de chuva volumosa nos próximos dias e mar agitado a partir da quarta-feira (9). Segundo o órgão municipal, essas condições podem agravar a situação na praia do Morro das Pedras, onde 11 propriedades já foram interditadas devido aos problemas de erosão marinha, que se intensificaram na região no dia 8 de maio.

“A previsão no decorrer da tarde de segunda (7) e na terça-feira (8) é de ondas com picos de 1,5 metro ou 1 metro. A partir de quarta-feira (9), [a previsão é de] picos de ondas de até 2,5 metros, porque nós teremos maré astronômica. A maré vai aumentar e, com a soma do mar agitado, podemos ter danos maiores na orla da praia do Morro das Pedras”, afirmou o gerente de operações da Defesa Civil de Florianópolis, Alexandre Vieira.

Defesa Civil de Florianópolis alerta moradores do Morro das Pedras para a previsão de chuva volumosa – Foto: Divulgação/DC FlorianópolisDefesa Civil de Florianópolis alerta moradores do Morro das Pedras para a previsão de chuva volumosa – Foto: Divulgação/DC Florianópolis

Ainda segundo Vieira, 14 propriedades foram atingidas pela ressaca. Também já foram registradas pelo menos 11 quedas de muro. Das edificações interditadas, três são residências. “Uma delas é de veraneio e já foram retirados todos os móveis. As outras duas são de moradores daqui. A assistência social da prefeitura já foi acionada para dar o suporte necessário para essas pessoas”, disse ele.

“Essa duna frontal [sobre a qual as casas estão] está próxima a escarpa erosiva. Com a chuva, pode acabar caindo parte dessas edificações. Nós estamos monitorando. Essas casas foram protegidas com geobags. Os proprietários colocaram de forma emergencial e, com isso, [terão] mais segurança”, disse o gerente de operações.

Nova decisão judicial

Uma nova decisão judicial emitida na noite do último sábado (5) causou uma reviravolta na situação. O desembargador federal Rogério Favreto, do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), analisou um recurso e permitiu a adoção de novas medidas emergenciais para conter o avanço do mar e preservar as moradias na região.

No dia 31 de maio, o juiz Marcelo Krás Borges, da 6ª Vara Federal de Florianópolis, havia negado liminar que solicitava permissão para utilizar rochas e outras estratégias de emergência. Um morador, então, entrou com recurso com o mesmo teor, pedindo que a Prefeitura de Florianópolis adote medidas duradouras para proteger os imóveis.

Moradores dependem do uso de paliçadas e sacos de areia – Foto: André Vieiro/NDTVMoradores dependem do uso de paliçadas e sacos de areia – Foto: André Vieiro/NDTV

A decisão de Favreto se baseia na urgência em garantir a segurança dos moradores e a proteção do meio-ambiente. Segundo ele, neste momento, discute-se a possibilidade de adoção – seja do Poder Público ou do próprio morador que ingressou com recurso – de medidas efetivas que impeçam o desabamento da moradia em razão dos eventos climáticos.

O desembargador argumenta que a própria Defesa Civil do município reconheceu a gravidade da situação do Morro das Pedras, ao afirmar que “tendo em vista o atingimento da faixa de areia pelos escombros provenientes das estruturas rígidas construídas em área de preservação permanente, se conclui um risco de caráter público”.

+

BG Florianópolis