Laudelino Sardá

Causos da Ilha, seus personagens, histórias e momentos do cotidiano de Florianópolis com quem conhece os cantos da Capital de Santa Catarina.


O Brás está morrendo

O rio do Brás alimentou dezenas de famílias, com camarão, peixe, siris. Nos fins de semana os passeios de barco eram a atração, animando nativos e turistas

A prefeitura acaba de criar a sepultura do Brás, o rio que encantou até mesmo o escritor Virgílio Várzea, que descreve com paixão Canasvieiras em seu livro Mares e Campos.

O Deca, o Manoel, o Vardi, o Zinho e dezenas de outros moradores choram a morte do rio do Brás, decretada pela prefeitura, ao autorizar o monumento da Havan em seu estuário, com chuveiros, que vão lançar mijos e outros desarranjos para o rio, nutrindo as plantas macrófitas que cobrem seu leito e abreviam sua vida.

Rio do Brás  – Foto: Foto: Marco Santiago/Arquivo/NDRio do Brás  – Foto: Foto: Marco Santiago/Arquivo/ND

O rio do Brás alimentou dezenas de famílias, com camarão, peixe, siris. Nos fins de semana os passeios de barco eram a atração, animando nativos e turistas. E poderia estar proporcionando passeios a turistas até hoje, mas a prefeitura preferiu cortar a sua ligação como mar, para que as fezes não aumentassem o bodum da praia e nem contaminassem os pés dos turistas.

A prefeitura descaracteriza de vez Canasvieiras, impedindo o encontro do rio como mar, ao autorizara construção publicitária deum chuveiro público, estilo norte-americano, contraponto-se às heranças culturais de açorianos e de espanhóis. Aliás, a cultura na Ilha está definhando como o rio do Brás.

Por favor, prefeito, em nome da natureza e de uma ilha de cultura rica, porém adormecida, derrube aquela construção inapropriada e encontre outro lugar para os banhistas se lavarem. Em janeiro, dezenas de pescadores vão lançar seus barcos no rio do Brás, em protesto contra o escárnio.

Enquanto isso na praia da Cachoeira

– Venanço, tu viu que o dono da Havan desceu em Canasvieiras de helicóptero pra vera sua construção na foz do rio do Brás?

– Não, mas se eu estava lá ia pedir pra ele botar o chuveirão noutro lugar.

– Posentão, Venanço, o Itacir falou com ele bastante tempo e sabe que o dono da Havan disse que vai entrar no movimento de defesa do rio do Brás? E até disseque vai encomendar um projeto de despoluição.

– Puta meda, Lelo, que bom. Isso mostra que a prefeitura não quer nada com nada. Olha só, muitos empresários podem ajudar, mas a prefeitura não tem interesse.

– E nem esses órgãos que dizem que trabalho pela nossa cidade.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...