PF coleta provas contra fazendeiros por fogos no Pantanal

Focos de incêndio começaram no dia 30 de junho, em horários parecidos em quatro propriedades diferentes, o que indica uma ação combinada dos fazendeiros

A Polícia Federal já coletou informações suficientes para indiciar pelo menos quatro fazendeiros pelas queimadas na Serra do Amolar, no Pantanal. O Ministério Público Federal vai ainda analisar se pode ou não denunciar os investigados. As informações são do portal Uol.

Os incêndios começaram em junho – Foto: Record TV/Reprodução

Imagens de satélite da Nasa (Agência Espacial Americana) e do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) indicaram a ação humana nas queimadas. Depoimentos de trabalhadores e moradores foram colhidos e de acordo com a análise dos peritos, os focos de incêndio começaram no dia 30 de junho, em horários parecidos, em quatro propriedades diferentes localizadas na região oeste do rio Paraguai.

De acordo com as informações da investigação, esse fato indica uma prática existente de ação combinada de colocar fogo na vegetação para o plantio de pastagens.

Os fazendeiros negaram, em depoimento, ter mandado colocar fogo nas fazendas.

“Quando sobrevoamos a região, vi uma imagem que jamais podia imaginar. Um mar de água doce transformado em fumaça e fogo”, disse o delegado responsável pela investigação, Daniel Rocha.

“Fizemos a perícia nas propriedades e temos indícios de que os incêndios foram provocados a fim de criar novas áreas de pastagens”, completou.

Os proprietários devem ser indiciados por danos às áreas de preservação permanente e unidades de conservação, incêndio e poluição, o que pode levar a 15 anos de reclusão.

+

Meio Ambiente