Portal Cultiva Floripa: nova ferramenta estimula saúde, sustentabilidade e inclusão social

Projeto da Prefeitura de Florianópolis tem como objetivo estimular agricultura urbana e hábitos sustentáveis, com hortas comunitárias, cursos e oficinas gratuitos

Sustentabilidade, saúde, conhecimento e inclusão social a um clique de distância. A Prefeitura de Florianópolis lançou o portal Cultiva Floripa, ferramenta que aproxima a população das ações voltadas para a agricultura urbana na cidade.

hortas comunitárias representam uma importante estratégia de sensibilização sobre a natureza. – Foto: PMF/Divulgação/NDhortas comunitárias representam uma importante estratégia de sensibilização sobre a natureza. – Foto: PMF/Divulgação/ND

Disponibilizado por meio da Superintendência da Pesca, Maricultura e Agricultura, o portal traz mais transparência e facilidade no acesso às iniciativas na Capital catarinense. É possível acessar os cursos e oficinas oferecidos pelo Departamento de Educação Ambiental e Comcap, além de informações sobre as hortas comunitárias.

“O Cultiva Floripa vem, através da agricultura urbana, gerar espaços saudáveis com alimentos sem agrotóxicos, incentivando um comportamento mais ecológico e natural. É um raciocínio de educação ambiental para o acesso da população em geral”, diz o superintendente da Pesca, Maricultura e Agricultura, Adriano Roberto Weickert.

A ferramenta ainda vai disponibilizar um mapa identificando todas as hortas existentes em Florianópolis, com materiais educativos sobre as políticas de desenvolvimento sustentável. O portal é lançado em meio a um trabalho de conscientização da prefeitura sobre a importância da boa alimentação, melhoria da qualidade de vida, estímulo à compostagem, valorização das atitudes sustentáveis e aproveitamento de espaços públicos para lazer.

“A procura da população é bem grande. Há uma mudança comportamental em Florianópolis sobre viver e estar bem, sobre os cuidados com o corpo e com a saúde. Então, consequentemente tem uma maior procura por alimentos orgânicos, da agricultura familiar. Essa agricultura que se faz no quintal de casa, em terrenos baldios. Ou que a pessoa tem liberdade para ir ao posto de saúde buscar plantas medicinais através de orientação médica. Isso tudo faz com que tenhamos cada vez mais procura pelo projeto”, destaca Weickert.

Hoje, são 187 hortas no Programa Municipal de Agricultura Urbana de Florianópolis – Cultiva Floripa. – Foto: PMF/Divulgação/NDHoje, são 187 hortas no Programa Municipal de Agricultura Urbana de Florianópolis – Cultiva Floripa. – Foto: PMF/Divulgação/ND

Hortas comunitárias: natureza e pessoas conectadas

Aproximação entre as pessoas e os ciclos da natureza. São 187 hortas atualmente no Programa Municipal de Agricultura Urbana de Florianópolis – Cultiva Floripa. Destas, 117 estão ativas e recebendo a recuperação necessária, enquanto as outras estão em fase de revitalização. A Superintendência estuda ainda a ampliação de 20 novas hortas, para atender um número maior de pessoas e mais regiões.

As hortas comunitárias representam uma importante estratégia de sensibilização sobre a natureza. São espaços de troca de saberes e educação ambiental. São debatidos assuntos como estratégias de sensibilização e mobilização comunitárias; gestão institucional e ou comunitária de sistemas de tratamento de resíduos orgânicos (compostagem, vermicompostagem); técnicas de plantios; plantas nativas, exóticas, espontâneas, invasoras; e discussões sobre sustentabilidade dos diferentes sistemas.

Para implementar as hortas, o órgão da prefeitura recebe a solicitação de determinado local – como instituições, centros de saúde, CRAS, CCFV ou escolas, como exemplo. Em seguida, uma equipe é enviada até o local para verificar a necessidade de realização de oficinas e se já existe uma horta no local. O próximo passo é a implantação ou revitalização da horta.

O trabalho da implantação das hortas comunitárias também é forte junto às associações de moradores. Após enviar equipe da Superintendência ao local, é planejado em conjunto o modelo a ser implementado e a viabilidade do espaço.

“Depois vem a parte da organização. Nós organizamos os insumos, materiais de infraestrutura, cada um com a sua gestão do cultivo, juntamente com a comunidade”, explica Weickert. “Marcamos a data da implantação em reunião com a comunidade. Normalmente também criamos um grupo no Whatsapp, além das regras de cultivo e de cuidados posteriores com a obra. Inclusive a questão da irrigação”, complementa.

Para conhecer o programa, acesse o portal  

Cursos e oficinas gratuitos

O projeto conta com cursos, oficinas e formação continuada, além de palestras, ações de educação ambiental e assessoria técnica. Todas as capacitações são gratuitas. Confira abaixo:

Cursos de educação ambiental: acontecem anualmente, para a comunidade em geral:

– Educação Ambiental;
– Agricultura Urbana;
– Ecossistemas de Florianópolis;
– Educação Ambiental e Sanitária;
– Capacitação em Educação Ambiental para grupos específicos (pescadores, trabalhadores temporários, grupos abertos, empresas, entre outros).

Oficinas pedagógicas: acontecem por demanda. Qualquer grupo de 15 ou mais pessoas pode solicitar a execução da oficina. O departamento também possui lista de espera, em que os interessados se inscrevem na oficina desejada e aguardam a formação do grupo com 15 interessados.

São elas:
– Hortas escolares e comunitárias;
– Plantio de mudas;
– Vermicompostagem;
– Compostagem;
– Produção de papel reciclado;
– Papietagem;
– Produção de sabão ecológico (utilizando óleo de cozinha usado);
– Oficina da terra: atividades que promovem a interface entre inclusão e meio ambiente (é uma oficina de produção de mudas com famílias de crianças autistas e síndrome da Down)

Outras ações: Formação continuada em Educação Ambiental para educadores; realização de palestras; educação ambiental nos parques, praças e unidades de conservação; assessoria técnica, participação em reuniões, intervenções e mutirões nas comunidades.

Cursos na Comcap:

– Vermicompostagem
Quando: quinta-feira a domingo
Local: Jardim Botânico de Florianópolis

– Palestras de Gerenciamento de Resíduos
Quando: por demanda, com agendamento prévio

– Oficinas de Compostagem
Quando: 4º sábado do mês

– Visita Técnica Acompanhada ao Jardim Botânico e ao Centro de Treinamento da Epagri
Quando: todas as 6ª feiras

Conforme determina a Lei Municipal nº 10.199, de 27 de março de 2017, a Prefeitura Municipal de Florianópolis informa que a produção deste conteúdo não teve custo, e sua veiculação custou R$2.000,00 reais neste portal

+

Prefeitura de Florianópolis

Loading...