São Miguel do Oeste soma esforços no combate aos efeitos da estiagem

Manutenção de estradas e demais trabalhos da Secretaria de Obras que não estejam ligados à situação emergencial foram suspensos no município

Há quase dois meses, desde o dia 02 de outubro, o município de São Miguel do Oeste, no Extremo-Oeste do Estado, está em Situação de Emergência devido à estiagem. As perdas no setor agrícola já ultrapassam os R$ 23,5 milhões.

Extremo-Oeste do Estado sofre os impactos da estiagem. – Foto: Prefeitura de São Miguel do OesteExtremo-Oeste do Estado sofre os impactos da estiagem. – Foto: Prefeitura de São Miguel do Oeste

Visando minimizar os impactos, a partir desta semana, todos os serviços prestados pela Secretaria de Obras do município, passaram a ser direcionados para o combate aos efeitos da estiagem.

A decisão foi anunciada pelo prefeito Wilson Trevisan, após reunião com sua equipe de governo, e oficializada por meio do Decreto 9.424/2020, publicado nesta terça-feira (24).

De acordo com Trevisan, serão afetados os trabalhos de manutenção de estradas e demais intervenções da equipe de trabalho do município, tanto na área rural quanto urbana, enquanto perdurar a situação de estiagem. O prefeito pede a compreensão da população e a colaboração na economiza de água durante este período.

Transporte de água

Atualmente, o município está transportando cerca de 200 mil litros de água por dia, para abastecer mais de 120 propriedades, em áreas onde não há atendimento da Casan. O trabalho é realizado em três veículos. Outros dois caminhões estão sendo adaptados para também realizar este trabalho a partir da próxima semana.

Segundo a prefeitura, o quadro só não é pior, devido ao alto investimento realizado nos últimos anos pela Secretaria de Agricultura, na proteção de fontes e abertura de quase 200 poços caxambu.

Acesse e receba notícias de São Miguel do Oeste e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Meio Ambiente