Trinta cidades de SC estão em estado crítico devido à estiagem

Informação foi divulgada no boletim coordenado pela SDE e Defesa Civil do Estado que apresenta cidades com problemas no abastecimento público

O quarto boletim hidrometeorológico integrado coordenado pela SDE (Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Sustentável) em parceria com a Defesa Civil de Santa Catarina, aponta que 30 cidades estão em estado crítico devido à estiagem que se prolonga no estado.

O estudo que é realizado a cada 15 dias, visa apresentar as condições hidrológicas dos rios de SC e ainda avaliar os impactos exclusivamente de abastecimento urbano nos municípios. E neste, ocorrido entre os dias 1º a 12 de maio, foi constatado que pelo menos 222 municípios catarinenses apresentam problemas no abastecimento público. O levantamento foi realizado em 270, das 295 cidades do estado.

De acordo com o secretário da SDE, Lucas Esmeraldino, o boletim é resultado de um trabalho amplo e integrado. Ele destaca que o mesmo tem auxiliado na avaliação dos impactos da estiagem que assola o estado.

“Com isso, conseguimos promover ações, agindo com celeridade e contornando situações mais críticas. Mas é importante frisar que neste momento contamos com apoio e conscientização da população no sentido de economizar água”, alerta o secretário da SDE.

30 cidades em estado crítico

O levantamento indica a situação hidrológica atual no estado, bem como a condições do abastecimento urbano em cada cidade. Para isso é levado em consideração as condições: normal, atenção, alerta e crítico.

E de acordo com os dados da última quinzena, é possível destacar que Santa Catarina está com 50% das cidades em estado de atenção, 21% em alerta e 11% crítico.

Em vermelhos os municípios em estado crítico – Foto: Reprodução/Defesa Civil/ND

Os municípios em estado crítico são:  Arvoredo, Cocal do Sul, Fraiburgo, Governador Celso Ramos, Herval d’Oeste, Ilhota, Jaborá, Joaçaba, Laurentino, Lauro Muller, Luzerna, Monte Carlo, Monte Castelo, Morro da Fumaça, Paial, Papanduva, Planalto Alegre, Rio do Oeste, Rio Rufino, Salete, Santa Terezinha, São João do Oeste, São Joaquim, Seara, Tijucas, Trombudo Central, Tubarão, Tunápolis, Vargem e Zortéa.

Quase um ano com precipitações abaixo da média

Ainda não há uma previsão de chuvas significativas e suficiente para normalizar o abastecimento urbano em um curto prazo, nos próximos 15 dias em Santa Catarina. E de acordo com o boletim, tendo em vista os níveis baixos dos rios, tudo indica para a continuidade prolongada na estiagem no estado.

Leia também:

A gerente de Fiscalização da Aresc (Agência Reguladora de Serviços Públicos de Santa Catarina), Luiza Burgardt, ressalta que o estado está há quase um ano com precipitações abaixo da média.

E reforça que todos os órgãos envolvidos neste estudo estão alinhados com um único objetivo: mitigar os impactos no abastecimento público.

Luiza destaca ainda que em tempos de pandemia, onde a água é um importante aliado para o combate ao novo coronavírus é preciso ter consciência.

“Saliento que o uso consciente da água é a melhor saída para diminuir a pressão nos mananciais de abastecimento e garantir disponibilidade para todos os catarinenses”, frisa a gerente.

Também participam do levantamento a Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento, Agência Intermunicipal de Regulação do Médio Vale do Itajaí e o Consórcio Intermunicipal de Saneamento Ambiental – Meio-Oeste.

Comunidades rurais

De acordo com o boletim, a situação do abastecimento em comunidades rurais está sendo levantada e quando estiver consolidada também será publicada.

+

Meio Ambiente