VÍDEOS: 5 vezes que a natureza mostrou ‘revolta’ em Balneário Camboriú

Obra de alargamento da praia Central de Balneário Camboriú teve alguns episódios na qual a natureza mostrou sua força

A obra de alargamento da praia Central de Balneário Camboriú, no Litoral Norte de Santa Catarina, durou pouco mais de 6 meses e não faltaram episódios nos quais a natureza mostrou sua “revolta”.

Tubarões passaram a passear próximo à orla, carros engolidos pela areia, mulheres atoladas e animais estranhos foram notícias durante a mega obra de alargamento que triplicou o tamanho da praia.

Durante a obra de alargamento da praia Central, natureza teve alguns momentos de “Revolta” – Foto: Reprodução/InternetDurante a obra de alargamento da praia Central, natureza teve alguns momentos de “Revolta” – Foto: Reprodução/Internet

Recentemente, os “degraus” que apareceram na praia Central foram notícias e são um exemplo da força da natureza. De acordo com a engenheira ambiental Maria Heloísa Lenzi, a natureza tem trabalhado para acomodar de forma natural os mais de 1 milhão de metros cúbicos de areia transportados pela draga Galileo Galilei.

“O restante do espalhamento da areia na parte submersa tem que ser feito pelos movimentos dos ventos, correntes e marés. É a natureza trabalhando por nós. Em resumo, uma parte da areia que foi colocada na praia, vai escorregar para dentro do mar para manter a baixa declividade. tudo isso está dentro do planejado”, destaca Heloísa.

Após ‘degraus’, entenda por que praia de Balneário Camboriú perderá areia para o mar

Veja outros momentos que a natureza se mostrou “revoltada” com Balneário Camboriú durante a obra de alargamento da praia Central.

BC Sharks

Não só um, mas dois tubarões foram avistados na Praia Central de Balneário Camboriú durante o alargamento. O primeiro apareceu no dia 16 de setembro e foi avistado perto do molhe da Barra Sul.

A brincadeira de que o animal também ficou curioso para ver como estava ficando o alargamento da Praia Central pode não ser tão brincadeira assim. É que, segundo o curador do Museu Oceanógrafo da Univali, professor Jules Soto, esse é um dos motivos que pode ter trazido o tubarão para tão perto da terra firme.

Secretaria do Meio Ambiente afirma se tratar de um tubarão-martelo – Vídeo: Reprodução/ND

Ele afirma que essa espécie de animal costuma ficar no fundo do mar se alimentando de pequenos peixes. Com a obra de alargamento, uma draga foi colocada para “sugar” a areia de uma jazida e trazer até a praia. Com isso, o fundo do mar, onde as presas do tubarão ficavam, agora estão na praia.

Movido pela alimentação, esse tubarão-martelo juvenil, segundo o professor, veio até a Barra Sul atrás dos peixes, e parece ter encontrado.

O segundo flagrante de tubarão na praia foi feito por um surfista, Pita Tavares, que contou que o bicho bateu com o rabo nas costas dele.

“A fita foi a seguinte, o tubarão passou por mim, bateu na minha perna e sumiu, até então eu não tinha percebido que se tratava de um tubarão. Logo depois ele voltou de frente para mim, na minha direção e passou do meu ladinho. O rabo dele bateu nas minhas costas e foi embora”, contou.

Surfista conta que ficou apavorado ao ver tubarão em praia Central de Balneário Camboriú – Vídeo: Reprodução/Internet

Pita conversou com um biólogo que explicou que o tubarão é de uma espécie pequena, que não costuma atacar. “Ele disse que é um tubarão que não morde nem ataca, por isso ele só imbicou em mim e não chegou a me morder. Mas é um tubarão, né cara?! Não estou acostumado a ver isso. O cara se caga todo”, disse.

O susto fez o surfista questionar se continuaria pegando ondas. “Estou apavorado. Pensei até em parar de surfar. Eu estou bem assustado mesmo. Não foi brincadeira. Não sei explicar, uma coisa que nunca vi em 30 anos aqui, nunca vi nada disso”, desabafou.

Que bicho é esse?

Uma das coisas que mais chamaram a atenção do público foi uma espécie de “largata estranha”, que apareceu na areia da praia Central da cidade. Leitores entraram em contato com a redação pra entender do que se trata o animal.

Adriano Marenzi, professor de oceanografia da Univali (Universidade do Vale do Itajaí), identificou o animal estranho como um sipunculo, que pertence a um grupo colocado junto com os Anelídeos (minhocas e afins). Seu nome é do latim sipúnculos (pequeno sifão) que é este “biquinho” do bicho.

O alargamento da Praia Central de Balneário Camboriú trouxe acontecimentos que vão além da ampliação do espaço para instalar cadeiras e guarda-sóis. Uma espécie de minhoca, chamada de Sipunculo, foi encontrada na faixa de areia por banhistas – Foto: Reprodução/NDO alargamento da Praia Central de Balneário Camboriú trouxe acontecimentos que vão além da ampliação do espaço para instalar cadeiras e guarda-sóis. Uma espécie de minhoca, chamada de Sipunculo, foi encontrada na faixa de areia por banhistas – Foto: Reprodução/ND

Marenzi explica que o animal é de pequeno porte e raramente ultrapassa 10cm. “O corpo é basicamente em um tronco muscular, recoberto por uma casca, daí são conhecidos como verme amendoim, eu particularmente não vejo amendoim algum”, brinca o professor.

Outro animal estranho que chamou a atenção na praia Central de Balneário Camboriú foi uma espécie de “minhoca do mar” que troca de cor quando é tocada.

Que bicho é esse? Animal causa repulsa em banhistas de Balneário Camboriú – Foto: Reprodução/NDQue bicho é esse? Animal causa repulsa em banhistas de Balneário Camboriú – Foto: Reprodução/ND

Mais uma vez banhistas gravaram diversas espécies semelhantes como esses e procuraram o ND+ para saber, afinal, que bicho é esse? Quem respondeu aos questionamentos foi o biólogo André Neto do Oceanic Aquarium de Balneário Camboriú.

“A princípio é um verme poliqueto anelídeo que é comum em fundos arenosos marinhos, vivem enterrados e são detritívoros oportunistas, ou seja, alimentam-se de restos de animais e detritos orgânicos quando disponível”, explica André.

O biólogo completa que existem muitas espécies de vermes poliquetos marinhos e na sua grande maioria não causam danos aos humanos, são inofensivos.

Areia movediça?

A equipe responsável pela obra levou um grande susto quando uma das máquinas usadas no alargamento começou a afundar, como se estivesse sobre “areia movediça”.

MOMENTO EM QUE O MAQUINARIO AFUNDOU NA AREIA DAS OBRAS

MOMENTO EM QUE O MAQUINARIO AFUNDOU NA AREIA DAS OBRAS

Posted by Balneário Camboriú minha cidade on Thursday, September 16, 2021

O que aconteceu foi que se formaram “bolhas” no chão, e quando a máquina passou por cima, acabou afundando, conforme a explicação da prefeitura. Para evitar problemas maiores, trabalham dois tipos de máquinas: uma menor, como a que atolou, e uma escavadeira maior, que além de acelerar o trabalho, consegue “puxar” as máquinas quando afundarem.

O operador da máquina não se feriu e o trabalho continua normalmente. A obra na Barra Sul deve ser concluída ainda nesta sexta, e promete devolver a praia e o sol a esta área da Praia Central.

Mulheres atoladas

A máquina não foi o único caso. Na reta final da obra, três banhistas também acabaram afundando quando passeavam na orla. Em um dos casos, até o quadriciclo do guarda-vidas chegou a ficar preso na areia.

A secretária executiva, Rosa de Fátima Viegas, de 59 anos, lembra com risadas os momentos de “sufoco” que passou na manhã da última terça-feira (26) na praia Central de Balneário Camboriú. Ela e outra mulher ficaram presas na nova areia do alargamento da praia, nas proximidades da Praça Almirante Tamandaré.

Vídeo mostra mulheres sendo resgatadas – Vídeo: Reprodução/ND

Um pouco antes de ficar “atolada” na areia com a outra mulher, a moradora da Barra Norte, em Balneário Camboriú, diz que já havia ficado com os pés presos na areia, mas foi orientada a seguir caminhando pelo local. Com receio de afundar novamente, a mulher começou a retornar para a calçada. No caminho, a secretária ouviu pedidos de ajuda. “Moça me ajuda. Me ajuda!”, relata.

Ao chegar próximo para verificar o que estava acontecendo, Rosa diz que encontrou uma mulher caída e com a cabeça quase que coberta pela areia. Mas ao tentar ajudar, começou a afundar também.

Rosa afirma que tentou manter a tranquilidade e acalmar a outra mulher que pedia por ajuda. Quando o guarda-vidas chegou para socorrer, a mulher tentou alertar o oficial para não se aproximar, pois sabia que ele também iria afundar na areia.

“Parecia que eu estava cimentada na areia, eu não conseguia mexer”, afirma. Depois dos momentos de desespero, Rosa diz que o ocorrido serviu de “lição” para que outras pessoas tomem cuidado ao caminharem no local.

Conchinhas

Conchinhas ‘misteriosas’ começaram a aparecer no alargamento da praia de Balneário Camboriú logo do começo da obra, no final de agosto.

Conchas ‘misteriosas’ aparecem no alargamento da praia de Balneário Camboriú – Foto: Dariane PeresConchas ‘misteriosas’ aparecem no alargamento da praia de Balneário Camboriú – Foto: Dariane Peres

Segundo a secretária do Meio Ambiente de Balneário Camboriú, Maria Heloísa Lenzi, essas conchas são chamadas de “detrito biológico”. Ou seja, são “sobras” de animais como moluscos, que descartam suas conchas e caem no fundo do mar. Ela explicou que essas conchas ficam na primeira camada do fundo do mar, justamente de onde a draga “suga” a areia que vai compor a praia.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itajaí e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Meio Ambiente

Loading...