Em Florianópolis, estilista que vestiu Michelle Bolsonaro torna sonhos realidade

Marie Lafayette, que entrou para a história ao criar o vestido usado na posse pela primeira-dama, aproveita a fama instantânea e expande negócios, abrindo um ateliê em Jurerê Internacional

Luana Piovani, Juliana Paes, Carol Castro, Bruna Marquezine… Algumas das mulheres mais bonitas do Brasil já vestiram modelos confeccionados pela estilista Marie Lafayette.

Com carreira sólida respaldada por mais de uma década de atuação e já tendo no currículo tantas beldades, foi graças a outra cliente, hoje conhecida nacionalmente, que Marie Lafayette foi alçada à fama internacional.

Estilistas Paula e Marie Lafayette, amigas de longa data e sócias em ateliê de Florianópolis – Foto: Divulgação/ND

Marie foi a estilista escolhida pela primeira-dama, Michelle Bolsonaro, para confeccionar os vestidos que ela usou em 1º de janeiro do ano passado, quando o marido, Jair Bolsonaro, foi empossado como presidente da República.

Michelle subiu a rampa do Palácio do Planalto usando um vestido justo e clássico feito com zibeline de seda rosa e decote ombro a ombro, em que a estilista revela ter pensado em deixar os braços e mãos livres para o discurso em Libras, a Língua Brasileira dos Sinais, feito por ela. Mais tarde, apareceu com um vestido longo preto de renda com mangas e gola transparente para o coquetel no Itamaraty.

Desde então, a estilista que os assina tem sido vista com muito mais frequência nas publicações referentes à moda, além de ter revelado em algumas entrevistas que gostaria de se tornar a estilista oficial da primeira-dama. Também sugeriu à primeira-dama que coloque seus vestidos em leilão em prol de causas sociais.

A estilista já havia trabalhado com a primeira-dama em 2013. Foi ela quem confeccionou o vestido de casamento da então ex-secretária parlamentar da Câmara de Deputados com o então deputado federal, Jair Bolsonaro. E neste ano também criou o vestido que Heloísa Bolsonaro, que subiu ao altar com o filho do presidente, o deputado federal, Eduardo Bolsonaro.

Discreta, hoje ela evitar falar sobre as clientes, em especial Michelle. “Foi uma honra fazer parte deste ato histórico para nosso país, vestir a primeira-dama em momento tão importante quanto a posse”, resume.

Fachada do ateliê instalado em Jurerê Internacional – Foto: Divulgação/ND

A sedução da Ilha da Magia

Com ateliê no Rio de Janeiro, Marie também foi seduzida pelos encantos da Ilha da Magia e a escolheu para fixar sua marca, mais especificamente em Jurerê Internacional.

Ali, em meio às imponentes construções do bairro nobre de Florianópolis, junto com a amiga de longa data e sócia, Paula Lindenberg, resolveu abrir a única sucursal do Marie Lafayette Atelier Haute Couture. Agora, estuda a abertura de outra unidade em São Paulo.

Marie atua fortemente na produção de vestidos de noiva. Um deles foi usado pela atriz Juliana Paes recentemente em uma novela; outro, pela atriz e youtuber Kéfera. O primeiro já foi vendido no Rio de Janeiro. O segundo acabou sendo arrematado na loja de Santa Catarina.

Bruna Marquezine também já usou vestido de noiva dela para um trabalho. As atrizes Carol Castro e Jeniffer Nascimento também são algumas das clientes assíduas de Marie Lafayette.

Do mesmo ateliê que saiu o vestido da noiva de Bolsonaro, saíram os dois vestidos de Priscila e Roberta, que em 2018 também fizeram história ao protagonizarem o primeiro casamento gay celebrado nos 95 anos do icônico hotel carioca, o Copacabana Palace – Foto: Reprodução/ND

Além de fazer história ao vestir a primeira-dama, a marca também colocou sua assinatura em outro fato histórico ao confeccionar os dois vestidos usados no primeiro casamento entre duas mulheres –  a veterinária Roberta Gradel e analista financeira Priscila Raab -, celebrado no icônico hotel Copacabana Palace em seus 95 anos de existência.

Também há produtos da Marie desfilando em clientes de Portugal, África do Sul, Angola, Colômbia, Estados Unidos e França.

Leia também:

O DNA da alta costura

Marie Lafayette, 38 anos, nasceu em São Paulo, mas vive no Rio de Janeiro. É descendente de franceses. Talvez daí venha parte do DNA de sua alta-costura. Mas um de seus maiores orgulhos é frisar ser descendente do jurista mineiro Lafayette Rodrigues Pereira, o Conselheiro Lafayette.

“Sempre amei o mundo da arte, cores, pinturas, esculturas, desenhos. Meu sonho era fazer belas artes, mas a minha família foi contra. Acabei fazendo um período de desenho industrial e vi que não era aquilo que eu queria. Então, fui estudar moda na Espanha e França”, contou a estilista em entrevista exclusiva à Inspira, no dia 9 deste mês.

“O que me inspira é acordar todos os dias de manhã e pensar que tenho algo novo para aprender, que posso fazer melhor a cada dia, que ainda não realizei nem metade dos meus objetivos.”  Marie Lafayette, 38 anos, estilista

Formada na Esmod Paris, ela já trabalhou em diversos países na área de alta costura, como França, Espanha, Itália e Estados Unidos. Explica que foi preciso estudar no exterior, uma vez que, naquela época, “o Brasil não tinha muitas faculdades na área”.

Ao finalizar os cursos na Europa, Marie montou seu ateliê, no bairro da Gávea. Não demorou muito para começar a fazer sucesso.

Atriz Luana Piovani posa com look de moda praia – Foto: Divulgação/ND

Mais de uma década depois, em fevereiro do ano passado veio o desejo de ampliar os negócios. Foi então que a jornalista e professora de hipismo, Paula Lindenberg, 40, entrou em cena, transformando a amizade de décadas em sociedade.

“Tanto Marie quanto eu adorávamos Florianópolis, cidade do meu marido. Vínhamos muito para cá. Marie queria expandir sua marca no Sul do País. Para isso, não havia lugar melhor do que Jurerê Internacional”, explica Paula, que hoje cuida da loja catarinense.

O atendimento nos dois ateliês sempre é muito diferenciado. Da loja catarinense já saíram seis vestidos de noivas exclusivos.

“Vestidos de noiva e de festa são nossos carros-chefes, mas aqui em Santa Catarina também oferecemos a moda praia de marcas parceiras, como a Carioca, Falésia entre outras”, comenta Paula.

Vestido de noiva da grife de Marie Lafayette: uma obra a ser esculpida – Foto: Divulgação/ND

A arte de esculpir um vestido

Marie, que sempre foi apaixonada pela moda, vê um vestido como uma obra de arte.

“Acho que a arte complementa a moda. Os vestidos de noiva e de festas podem ser vistos como esculturas. Amo isso”, enfatiza a estilista, que utiliza suas viagens e a literatura como ferramentas de inspiração à alta costura.

“O vestido de noiva é um sonho, uma obra de arte, uma mistura de sentimentos. Isso é mágico. A composição de um vestido passa por um processo muito intimista e bastante lúdico. Inspirador, aos poucos nossas ideias se transformam em traços. Traços em desenhos, croquis, e então tudo ganha forma. É um trabalho gratificante”, enfatiza a estilista.

A amiga Paula explica que, na prática, não há muitas diferenças entre os pedidos das noivas cariocas e catarinenses.

“Os pedidos são muito parecidos. O que muda é que uma cliente quer mais bordado, outra mais renda, outra uma cauda maior e assim vai. Cada vestido é único, feito com muito amor, uma obra de arte para transformar sonhos em realidade”, diz.

Rendas, tecidos fluídos e um toque romântico no vestido inspirador e feito para concretizar sonhos – Foto: Divulgação/ND

A tecnologia a favor da moda

Apesar de morar no Rio de Janeiro, o atendimento às freguesas catarinenses é feito em tempo real. É aí que entra a tecnologia.

“Todas nossas clientes são atendidas exclusivamente pela Marie. Em uma primeiro momento, por meio de videoconferência, em nosso ateliê de Jurerê Internacional as noivas são entrevistadas pela estilista, que assimila todos os detalhes daquele sonho”, explica a jornalista e empresária Paula Lindenberg.

Depois disso, é hora de Marie começar a desenhar a obra-prima. É feito um croqui e então um novo encontro é marcado para apresentar a peça à cliente.

“Marie vem pessoalmente entregar o vestido já finalizado e fazer os últimos ajustes. Este é um momento muito emocionante. Quando o sonho vira realidade, quando a noiva veste aquilo que tanto desejou e se ver pronta pra esta nova fase da vida”, completa Paula.

No site do ateliê, além das coleções você encontra um blog com dicas importantes para deixar seu casamento ainda mais especial. Confira em https://marielafayette.com.

Oportunidade para futuros profissionais

Em breve, a estilista Marie Lafayette estará lançando um curso de formação para estilistas e estudantes de moda em geral.

“O caminho do mundo da moda não é fácil, você tem que amar muito, ser guerreiro. Para dividir toda essa minha trajetória estou lançando em março uma formação para estilistas, onde vou estar compartilhando tudo que aprendi e como cheguei até aqui. Uma parte dessa formação será on-line e outra presencial para estilistas, estudantes de moda e profissionais da área”, anuncia Marie.

Mais informações podem ser obtidas no site: https://marielafayette.com/
Contato: 21/98166-4623

Presidenta Dilma durante desfile em carro aberto antes de jurar a Constituição no Congresso Nacional: look de saia e blusa de renda nude perolada foi escolhido pela estilista gaúcha Juliana Pereira: “clássico, atemporal, elegante e leve devido ao horário e ao clima”. Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula/Divulgação/ND

As preferidas da ex-presidente e da ex-primeira-dama

Em suas duas posses, a ex-presidente Dilma Rousseff apostou em looks criados por estilistas gaúchas.

Em 2011, a petista usou um terninho branco assinado pela amiga Luísa Stadtlander, que ao longo dos mandatos criou outros modelos para ela. Em 2015, Dilma usou um conjunto de renda bege perolado criado por Juliana Pereira.

Em sua primeira aparição pública como primeira-dama, no feriado da Independência de 2016, Marcela Temer, mulher de Michel Temer, usou um vestido comprado em loja multimarca.

A peça se esgotou no dia seguinte. Sempre destaque por sua beleza e elegância, Marcela revelou que não tinha estilista, comprava as próprias roupas e era responsável pela própria maquiagem.

+

Inspira!