Marcos Cardoso

A sociedade da Grande Florianópolis, os eventos culturais e as tradições da região analisadas pelo experiente jornalista Marcos Cardoso.


Terezinha Morango, miss Brasil 1957, morre no Rio de Janeiro

A amazonense, que ficou em segundo lugar no Miss Universo, tinha 84 anos

Em pouco mais de oito meses, o país perdeu outra mulher coroada entre as mais belas de sua época.

Depois de Martha Rocha, miss Brasil 1954, morta em julho do ano passado, Terezinha Morango, miss Brasil 1957, foi vítima de parada cardíaca, sábado (13), aos 84 anos.

A ocorrência se deu durante uma cirurgia no fêmur, causada por uma queda em casa, no Rio de Janeiro.

Terezinha Morango era dona de beleza ímpar – Foto: Reprodução/Redes Sociais/NDTerezinha Morango era dona de beleza ímpar – Foto: Reprodução/Redes Sociais/ND

Nascida no interior do Amazonas, ela foi a primeira representante da região Norte a conquistar o título nacional de beleza.

Terezinha Gonçalves Morango tinha 20 anos quando recebeu a coroa de sua antecessora, a gaúcha Maria José Cardoso (1935-2019), no Hotel Quitandinha, em Petrópolis (RJ), sendo a última edição do Miss Brasil realizada no local.

Em traje e gala e maiô, Terezinha concorreu pelo Estado do Amazonas e venceu o concurso Miss Brasil 1957 – Foto: Reprodução/O Cruzeiro/NDEm traje e gala e maiô, Terezinha concorreu pelo Estado do Amazonas e venceu o concurso Miss Brasil 1957 – Foto: Reprodução/O Cruzeiro/ND

Naquele ano, a candidata de Santa Catarina foi uma xará, Terezinha Dutra, de Florianópolis. Ela chegou a ser votada pelos jurados, mas não figurou entre as cinco finalistas. Mais tarde, se casou e constituiu família com Sérgio Francalacci.

Terezinha Dutra, de Florianópolis, candidata de Santa Catarina ao Miss Brasil 1957, no Hotel Quitandinha, em Petrópolis (RJ) – Foto: Reprodução/O Cruzeiro/NDTerezinha Dutra, de Florianópolis, candidata de Santa Catarina ao Miss Brasil 1957, no Hotel Quitandinha, em Petrópolis (RJ) – Foto: Reprodução/O Cruzeiro/ND

Assim como Martha, Terezinha Morango ficou em segundo lugar no concurso Miss Universo, nos Estados Unidos, vencido pela peruana Gladys Zender, após o desempate.

Da esq. para dir.: Maria Rosa Gamio (Cuba, 4° lugar), Sonia Hamilton (Inglaterra, 3° lugar), Gladys Zender (Peru, 1° lugar), Terezinha Morango (Brasil, 2° lugar) e Gerti Daub (Alemanha, 5° lugar), no concurso Miss Universo 1957, nos Estados Unidos – Foto: Divulgação/NDDa esq. para dir.: Maria Rosa Gamio (Cuba, 4° lugar), Sonia Hamilton (Inglaterra, 3° lugar), Gladys Zender (Peru, 1° lugar), Terezinha Morango (Brasil, 2° lugar) e Gerti Daub (Alemanha, 5° lugar), no concurso Miss Universo 1957, nos Estados Unidos – Foto: Divulgação/ND
Terezinha durante o concurso Miss Universo, nos Estados Unidos – Foto: Reprodução/Redes Sociais/NDTerezinha durante o concurso Miss Universo, nos Estados Unidos – Foto: Reprodução/Redes Sociais/ND
Posando para o fotógrafo oficial do Miss Universo 1957 – Foto: Albert R. Kelch/Divulgação/NDPosando para o fotógrafo oficial do Miss Universo 1957 – Foto: Albert R. Kelch/Divulgação/ND

Era viúva do empresário Alberto Pittigliani, catarinense de Imbituba, que foi presidente da Philips na década de 1960 e com quem teve um casal de filhos e uma neta.

Terezinha Gonçalves Morango Pittigliani apareceu em um vídeo nas redes sociais, em 2018 – Foto: Reprodução/Redes Sociais/NDTerezinha Gonçalves Morango Pittigliani apareceu em um vídeo nas redes sociais, em 2018 – Foto: Reprodução/Redes Sociais/ND