Mundo Maria

maria.petrelli@ndtv.com.br Entretenimento, lifestyle, arte e tudo que move o mundo dos influenciadores nas redes sociais.


Ao ND+, Seu Jorge e Alexandre Pires falam sobre o show que vai sacudir São José nesta sexta

Os artistas compartilharam detalhes da turnê Irmãos, do repertório, da relação de amizade entre eles e do carinho que têm por Santa Catarina; apresentação será na Arena Petry

Hello, leitores! É hoje!

Nesta sexta-feira (25), ao vivo e a cores, na Arena Petry, em São José, acontece o show de dois dos artistas mais populares e queridos do Brasil: Alexandre Pires e Seu Jorge. Eles apresentam o projeto Irmãos, inédito e exclusivo, que nasceu durante a pandemia após uma das lives mais assistidas no YouTube, com mais de 14 milhões de visualizações.

Projeto “Irmãos” de Seu Jorge e Alexandre Pires terá mega show na Arena PetrySeu Jorge e Alexandre Pires. -Reprodução: Ulisses Alot/ND

E vamos de notícia boa: os ingressos ainda estão à venda pelo uhuuu! O show teve espetacular estreia mundial em Portugal e, no Brasil, já passou por São Paulo e Rio de Janeiro.

Esbanjando simpatia e carisma, os artistas prometem desfilar, em mais de duas horas de show, um repertório com os grandes clássicos de suas carreiras, além de versões para Tim Maia, Legião Urbana, Jorge Ben, entre outros artistas brasileiros. Informal e intimista, o show promete fazer o público cair no samba e no pagode.

Os dois bateram um papo com o ND+ e falaram sobre o show, a energia do público, o carinho especial que têm por Santa Catarina – o mineirinho Alexandre Pires, inclusive, mora em Itapema – e também sobre a expectativa da retomada dos eventos diante da melhora do cenário da pandemia no país.

Bora conferir na íntegra a entrevista concedida pelos dois para o Mundo Maria:

Que lembranças carregam do último show que fizeram em Santa Catarina?

Alexandre Pires: Todos os shows que fiz, tanto em carreira solo como com o SPC, em Santa Catarina, foram sensacionais! O público é sempre extremamente animado e receptivo. Seria uma injustiça mencionar apenas um show. Tenho bons momentos no Estado e é justamente por isso que sempre gosto de estar por aqui, e estou curtindo ainda mais agora com meu grande parceiro Seu Jorge.

Seu Jorge: Eu adoro me apresentar em Santa Catarina. Também acredito que é injusto relembrar apenas uma apresentação. O povo é alegre, curte todas as músicas com uma paixão impressionante e isso acaba me contagiando bastante.

O que o público pode esperar do espetáculo Irmãos?

AP: Este show na Arena Petry é um dos mais esperados desse projeto. É a nova casa da nossa produtora e de diversos integrantes da nossa equipe. Então, estamos preparando uma apresentação ainda mais especial. Será uma grande celebração com muita música boa. Sempre alertamos o público para que venham com a garganta e os pés preparados pra cantar e dançar muito.

SJ: Nosso show é uma verdadeira festa em cima do palco. O público sente isso e acaba entrando na brincadeira e se divertindo também. Chega a ser curiosa essa troca de energia entre nós e os fãs. Durante toda a apresentação nos comunicamos e fazemos essa interação direta, seja com um sorriso ou até mesmo tocando o coração das pessoas com alguma música em especial. Temos uma grande conexão em cima do palco, então, é nítido e transparente que nos entregamos para que a nossa performance se transforme em uma experiência magnifica para todos.

Como começou se consolidou essa amizade e parceria entre vocês?

AP: Nós sempre nos encontrávamos em eventos, premiações e nos aeroportos. Sempre tivemos um respeito muito grande um pelo outro e sempre tivemos esse desejo de fazer algo juntos. É justamente por isso que tudo aconteceu de uma forma bastante natural para esse projeto Irmãos. Nos reunimos alguns dias no meu rancho para ensaiar, conversar e levarmos entretenimento e música boa para as pessoas que estavam em casa. O feedback da live foi tão maravilhoso que as pessoas começaram a pedir que deixássemos o “mundo virtual” e levássemos essa apresentação para o mundo real. E hoje estamos aqui! Na verdade, com todo esse sucesso, seria um pecado não colocarmos esse show na estrada e levar alegria para o povo.

SJ: Alexandre é um artista talentoso, profissional, completo. Tenho uma admiração muito grande por ele e estou extremamente feliz em dividir o palco com ele nesse projeto. Nossa amizade é tão especial que brincamos que somos irmãos de outras vidas. Adorei passar todos aqueles dias no rancho dele para fechar todos os detalhes da live. O sucesso foi tão grande que hoje é uma das mais assistidas no YouTube. Era mais do que evidente que o próximo passo seria dar vida ao projeto e cair na estrada.

Como foi a escolha do repertório e quais são as suas músicas preferidas?

AP: A escolha do repertório foi muito difícil, pois queríamos colocar as nossas principais composições e também as nossas influências, algumas convergem, outras não. Então, tivemos que chegar a um denominador comum. Na minha opinião, esse denominador é espetacular e vocês poderão sentir isso no show.

É difícil destacar um momento em particular, porque são praticamente 2h30 de apresentação, com diversos clássicos das nossas carreiras e outras músicas que marcaram época. Eu me divirto tanto, e o tempo todo, que tem certas horas que dá até vontade de correr para o público e aproveitar o show no meio deles. Eu gosto muito de “Domingo” e o nosso super medley de Jorge Ben.

SJ: Também acredito que seja impossível escolher apenas uma música de um repertório tão vasto, eclético e longo. São mais de 30 composições repletas de emoção e interatividade. Eu gosto muito de “Eu Sou o Samba”, que é a música que escolhemos para abrir aos shows. Nós entramos juntos em cena e o público sempre pira, quando nos vê cantando lado a lado. “Descobridor dos Sete Mares” também é outro ponto forte.

A live foi um sucesso! Pretendem repetir a dose no formato virtual?

AP: A live foi realmente um sucesso! Uma das mais assistidas dos últimos tempos e continua a contabilizar muitos views diariamente. Apesar de todo esse excelente feedback, neste momento, com a nossa agenda de shows bastante movimentada, acredito que essa ideia seja um tanto difícil.

SJ: Nós somos extremamente gratos por todo esse sucesso. As pessoas realmente entenderam a nossa proposta de levar felicidade, harmonia, diversão e paz em um momento tão crítico em todo o Mundo. O mais curioso é que mesmo que a gente esteja na estrada com esse projeto, os fãs já querem mais novidades, novas ideias… Nós já conversamos sobre isso informalmente, porém, nossa agenda é realmente muito cheia e essa possibilidade é bem remota. Por isso, queremos que as pessoas curtam esse momento conosco agora, no mundo real.

Você é otimista em relação à retomada dos eventos neste novo cenário da pandemia?

AP: A situação ainda é de cautela e precaução. Em todos os nossos shows, a nossa equipe é testada e todos os protocolos exigidos são rigorosamente cumpridos. Sempre realizarmos eventos respeitando as medidas vigentes de cada região, além de prezar pela segurança do público e da equipe. Em todos os shows temos requerido comprovante de vacinação ou teste PCR válido por 24h. Essa retomada é muito importante às muitas famílias que vivem e sobrevivem do entretenimento. Fomos o primeiro setor a parar e somos os últimos a voltar. Se o nosso setor não tivesse se unido, muitas pessoas teriam morrido de fome.

SJ: A vacinação é a maior defesa para a retomada de todos os setores. O entretenimento em geral está em crise e voltar à estrada será um processo a longo prazo e que requer muito mais do que os devidos cuidados. O entretenimento é responsável pela criação de diversos postos de trabalho direta e indiretamente, mas ainda lidamos com a saúde e a vida das pessoas. Precisamos ter paciência e excelente planejamento estratégico em todas as esferas para que os grandes festivais, turnês e espetáculos voltem tranquilamente. Felizmente, o nosso setor é muito unido e, para minimizar os impactos, muitas pessoas realizaram ações de cunho social para ajudar colegas que estavam literalmente morrendo de fome.

Como conheceram SC e que memórias têm do Estado?

AP: Conheci melhor Santa Catarina por intermédios de grandes amigos particulares. Curtimos as paisagens, as praias e é um prazer viver aqui.

SJ: Conheço pouco o Estado porque sempre passo por aqui entre um show e outro. Nas folgas, sempre me levaram para conhecer as praias e restaurantes típicos.

E quais são seus lugares preferidos?

AP: Eu adoro Florianópolis, São José, Camboriú, Navegantes, mas escolhi Itapema para morar.

SJ: Posso dizer que gosto muito de vir a Florianópolis e São José, mas o Alexandre fala tanto de Itapema que só estou esperando ele oficializar o convite para conhecer o espaço dele (risos). Minha vida está tão corrida com gravações e shows, mas ainda pretendo dar uma volta em Joinville, Blumenau e Chapecó.

Alexandre, com que frequência costuma vir a Itapema e por que escolheu a cidade para viver?

AP: Eu costumo dizer que fico na ponte Itapema-Uberlândia (risos). Itapema foi amor à primeira vista! Fiquei apaixonado pelo clima, pelas praias e pela sua infra estrutura aconchegante. Durante esses dias de confinamento, passei muito tempo na cidade e acredito que fiz muito bem em escolher essa cidade para morar. Me ajudou, e muito, a passar o tempo e também na minha criatividade. Sou muito feliz aqui!

Serviço:

O acesso ao evento será dado somente a pessoas imunizadas com pelo menos 14 dias de esquema vacinal completo contra a Covid-19 (duas doses completas ou dose única), mediante apresentação da caderneta ou carteirinha de vacinação emitida pela Secretaria Municipal de Saúde ou pelo App Conecte SUS (junto de documento de identificação), ou pessoas que apresentarem laudo de exame RT-qPCR, realizado nas últimas 72 horas, ou pesquisa de antígeno SARS-COV-2 por swab realizado nas últimas 48 horas com resultado negativo, não reagente ou não detectado. O laudo deve ser realizado por estabelecimentos credenciados e deverá ser entregue impresso para fins de auditoria.

Local: Arena Petry

Data: 25 de fevereiro de 2022 (sexta-feira)

Endereço: SC-281, 4000, São José, Grande Florianópolis

Horário: 21h (abertura da casa)

Acesso a deficientes

Classificação etária: 18 anos desacompanhados. Menores de 18 anos poderão comparecer ao evento desde que acompanhados dos pais e/ou responsáveis legais. Informação sujeita à alteração, conforme decisão judicial.

E para entrar no clima do show, confira a live Irmãos!

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...