Marcelo Lobato, integrante do O Rappa, fala sobre a pausa na carreira da banda

O grupo faz o último show na Grande Florianópolis nesta quarta-feira, no Petry

O Rappa esteve em Florianópolis em janeiro com casa lotada, e o público mal sabia que esse seria um dos últimos shows da banda na cidade. Agora, nesta quarta-feira, de fato eles fazem a última apresentação – até o momento – na Grande Florianópolis após anunciarem nas redes sociais uma pausa sem previsão de volta. O show da turnê “Acústico no Brennand” é no Centro de Eventos Petry, em Biguaçu. A banda deve cumprir a agenda de shows até fevereiro de 2018. 

O Rappa - Gabriel Wickbold/Divulgação/ND
Músicos do O Rappa revelam que sempre tiveram carinho do público local – Gabriel Wickbold/Divulgação/ND

Confira a entrevista por e-mail com o tecladista e baterista Marcelo Lobato 

ND – Como tem sido os shows de despedida nas cidades?

Marcelo – Os shows têm sido muito emocionantes. Não por se tratar de uma despedida, mas porque os shows do Rappa são assim. Nos empenhamos em fazer o melhor no palco. Não é algo de agora. O Rappa sempre foi e será uma banda de palco que gosta de tocar ao vivo. Construímos nossa carreira desta forma. 

ND – Existe a possibilidade de uma carreira solo do Falcão?

Marcelo – Falcão sempre desejou fazer um disco dele. É algo natural. Todos nós temos trabalhos paralelos de alguma forma. Eu tenho meu estúdio, minha banda Afrika Gumbe. Pretendo lançar um terceiro disco desta banda e um disco próprio, meu, que já está em andamento. É saudável se fazer coisas fora d’O Rappa. Isso traz novas ideias. Ventila a cabeça. E tira o peso excessivo sobre a banda. 

ND – Quando vocês viram que era necessária essa “pausa sem data de retorno”, e por quê?

Marcelo – Antes de gravarmos o álbum “Acústico no Brennand” já tínhamos esta ideia. É algo que estava planejado, justamente para darmos uma respirada e vivermos uma vida diferente da que vivemos há 20 anos. 

ND – Como será o show do DVD em Biguaçu, e que músicas vocês devem trazer dos outros álbuns?

Marcelo – O show de Biguaçu será o do Brennand. Nós já temos modificado bastante o repertório, mas o formato é este. E, é claro, damos muito espaço para as improvisações. 

ND – Como último show na Grande Florianópolis, que mensagem vocês querem deixar para o fãs daqui?

Marcelo – Floripa sempre teve um carinho especial pelo Rappa. Estamos vivendo tempos cabulosos. São tempos de mudanças radicais de comportamento. O Rappa sempre cantou o amor plural, a valorização das coisas mais simples, a comunhão entre as pessoas. Vamos tentar trazer este espírito para o nosso dia-dia e fazer deste show uma celebração da paz, da harmonia. E nunca deixaremos de ficar atentos e ampliarmos nossa consciência.

Serviço
O quê: O Rappa
Quando: 14/6, 1h
Onde: Centro de Eventos Petry, marginal da rod. BR-101, Biguaçu
Quanto: R$ 80. Clube ND tem 50% de desconto

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Música

Loading...