Psicodália tem edição comemorativa e relembra grandes momentos nas 20 edições

Festival de música alternativa acontece no Carnaval, em uma fazenda na cidade de Rio Negrinho

Em Rio Negrinho, o Psicodália chega a reunir até 3.000 pessoas – em 2017 são esperadas 5.000 – em torno de uma seleção de músicos de qualidade e uma estrutura para uma vivência comum nos dias de evento - Divulgação Psicodália/ND
Em Rio Negrinho, o Psicodália chega a reunir até 3.000 pessoas – em 2017 são esperadas 5.000 – em torno de uma seleção de músicos de qualidade e uma estrutura para uma vivência comum nos dias de evento – Divulgação Psicodália/ND

Na época, como baixista da banda Cores Berrantes, o curitibano Alexandre Osiecki, 36, tinha dificuldade em conseguir espaço para tocar na cidade com música autoral. O único jeito que ele via de apresentar seu próprio trabalho era criando o próprio encontro de bandas.

Um amigo ofereceu uma chácara em Angra do Reis, outros emprestaram equipamentos e instrumentos, e aí convidaram os amigos dos amigos e realizaram o AngraStock, entre 2001 e 2002. O evento no Rio de Janeiro reuniu cerca de 130 pessoas. “Era bem roots mesmo, sem estrutura alguma, mas já foram bandas muito legais, que tiveram uma continuação”, lembra o organizador Alexandre, do que há dez anos passou a se chamar Psicodália, hoje um dos eventos alternativos de música e cultura mais conhecidos do país e que neste ano comemora 20 edições com uma história digna de ser contada.

No ano seguinte a Angra, o evento de música aconteceu em Morretes, já no Paraná, para 350 pessoas. O fato de a organização ser sempre independente facilitou nas mudanças do evento quando necessário. O que aconteceu novamente em 2003, quando aconteceu o Psicodália no município da Lapa (PR), a 80 quilômetros de Curitiba. “Precisávamos achar um espaço que já tinha um pouco de estrutura, como palco e banheiros, e na época foi esse lugar”, diz Alexandre.

Em 2005, era hora de mudar de Estado e encontrar uma cidade que tivesse mais natureza, e claro, ainda mais estrutura. Uma chácara em São Martinho foi a eleita por quatro anos. “Lá era muito bonito. Tinha várias cachoeiras, um rio que cortava a chácara, mas a cidade era pequena, e acabou ficando difícil crescer, principalmente em relação a distribuição de produtos”, argumentou o organizador, afirmando que era preciso ficar na cidade dois meses, pois era muito longe de Curitiba.

A busca por um novo local continuou, até que em Rio Negrinho, que fica a menos de duas horas de Curitiba, encontraram o lugar ideal: a Fazenda Evaristo. O local possui 500 mil m2 de área verde, lagoas, trilhas e cascatas, contando ainda com praça de alimentação, saloon, bares diversos, mercearia, 310 banheiros, tirolesa, unidade móvel de saúde, cinco áreas grandes de camping e estacionamento para bicicletas, carros, motos, ônibus e motorhome.

Na primeira edição em Rio Negrinho, o Psicodália fez outra grande mudança além da cidade-sede. Realizou pela primeira vez um festival durante a virada de ano. Nessa edição, contou com a presença da banda Os Mutantes e recebeu um público de 3.500 pagantes. Já estiveram pelos cinco palcos do evento também Tom Zé, Baby do Brasil, Sá & Guarabyra, Alceu Valença, Moraes Moreira, Hermeto Pascoal, Gong, Casa das Máquinas, Som Nosso de Cada Dia, Ave Sangria, Paulinho Boca, Almir Sater, Yamandu Costa, Made in Brazil, Di Melo, Blues Etílicos, Terreno Baldio, A Bolha, Módulo 1000, Pedra Branca, e, no ano passado, Elza Soares. 

Alexandre Osiecki, organizador do Psicodália, festival que conta com uma grande estrutura para receber o público - Divulgação Psicodália/ND
Alexandre Osiecki, organizador do Psicodália, festival que conta com uma grande estrutura para receber o público – Divulgação Psicodália/ND

Conversa por carta

Foi ainda em São Martinho que a organização optou por marcar o calendário do Carnaval catarinense com uma festa alternativa. “Para o pessoal que gosta de rock, jazz, blues, é um momento complicado. Você não tem para onde ir. No litoral só tem o tradicional, músicas da moda, outra vertente. Esse público ficava desamparado nesse feriado”, diz Alexandre.

Nesses 15 anos de eventos, sendo 20 edições (algumas especiais aconteceram além do Carnaval), muitas histórias marcaram a trajetória do Psicodália. O organizador Alexandre Osiecki lembra que em um dos primeiros festivais, mandou uma carta ao guitarrista paulista Sérgio Dias. “Não tínhamos e-mail na época, e ele respondeu a carta dizendo que para ele vir precisávamos de patrocínio, apoio. Sem verba não dava para fazer o show. Em 2007, ele se apresentou em São Martinho”, conta, salientando que o evento continua sem apoio cultural.

Outro momento importante foi quando o músico Ian Anderson, do Jethro Tull, do Reino Unido, se apresentou no Psicodália, e gostou tanto que disse que podia servir de referência caso quisessem chamar algum outro estrangeiro para o evento. “Ele é um cara que preza pela perfeição, tinha que estar tudo combinado certinho, equipamento, tamanho do palco, e ele sair satisfeito do festival foi uma grande vitória”, comemora Alexandre.

Em 2007, outro momento que fez o Psicodália entrar na história do rock brasileiro foi o retorno da banda Casa das Máquinas. Eles estavam parados desde 1978, e subiram ao palco novamente a convite do festival catarinense na cidade de São Martinho. Eles inclusive são presença confirmada na edição comemorativa de 2017.

Festival terá 50 atrações, entre elas Erasmo Carlos, Ney Matogrosso e Céu, com o projeto Catch a Fire - Divulgação/ND
Festival terá 50 atrações, entre elas Erasmo Carlos, Ney Matogrosso e Céu, com o projeto Catch a Fire – Divulgação/ND

Palco potente

O Psicodália 2017 está marcado para acontecer entre os dias 24 de fevereiro e 1o de março, sendo seis dias intensos de festa. A edição comemorativa começou a ser pensada muito antes. No final de junho deste ano, o festival foi anunciado e começaram as vendas dos passaportes. Segundo a organização, pelo menos metade dos ingressos foi vendida na primeira leva sem mesmo anunciarem as atrações. No momento, as vendas estão no final do terceiro lote, sendo que haverá só mais um. A previsão é de que 5.000 pessoas passem o feriado de Carnaval na Fazenda Evaristo.

Alexandre, que também subirá ao palco com a sua banda, a Nave Maria, lembra que as pessoas não vão ao Psicodália só pela música, mas pelo encontro, acampamento, atividades, como oficina de artes, saúde, ecologia, sustentabilidade e filosofia. “Na última edição, tivemos mais de 3.000 pessoas que participaram das atividades”, ressalta.

As atrações começaram a ser liberadas em agosto. Entre as 50 bandas confirmadas, está a lenda Erasmo Carlos, da Jovem Guarda, e Ney Matogrosso. Bandas como Recordando o Vale das Maçãs, de rock progressivo, Gato Preto e a gaúcha Bandinha Di Dá Dó, estão presentes em quase todas as edições, e em 2017 não seria diferente. Alexandre diz que busca dar oportunidades a novas bandas, até porque foi por esse motivo que o festival de música nasceu. “Recebemos mais de mil e-mails pelo site, e estive em algumas feiras de música durante o ano, que é uma oportunidade de conhecer de perto os artistas. Foi uma experiência muito boa. O Brasil está passando por uma fase boa culturalmente. Esse começo de milênio está vindo demais, a internet está dando esse fôlego para as pessoas se animarem a fazer composições, gravar discos”, salienta.

Confira as atrações confirmadas

Ney Matogrosso
Erasmo Carlos
Liniker e os Caramelows
Céu
Casa das Máquinas
Di Melo Imorrivel + Trombone de Frutas
Perota chingo
Recordando Vale Das Maçãs
Metá Metá (oficial)
Calix Banda
ICONILI
Luneta Mágica
Cátia de França
Luiza Lian
Sá & Guarabyra
Grand Bazaar
Banda Black Papa
Charlie e os Marretas
Dingo Bells
Banda Mauê
Ian Ramil
The Baggios
Muntchako

Serviço 

O quê: Psicodália 2017
Quando: 24/2/17 a 1/3/2017 
Onde:  Fazenda Evaristo, em Rio Negrinho (SC)
Quanto: a partir de R$ 410 à venda no site Disk Ingressos (O passaporte dá direito a camping, shows, oficinas, peças de teatro, mostras de cinema, cozinha coletiva, acesso a restaurantes e bares 24h (alimentos e bebidas não inclusos no valor), visitas a lagoas, cascatas e trilhas; e segurança e limpeza 24h)
Informações: www.psicodalia.com.br

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Música

Loading...