TUM Sound Festival tem encontros do mercado musical, shows e oficinas

Sandra de Sá e a cantora Jesuton estão entre os nomes que se apresentam nesta segunda edição do evento que começa nesta quinta

Sandra de Sá fará dois shows e participa de um bate-papo no evento - Divulgação/ND
Sandra de Sá fará dois shows e participa de um bate-papo no evento – Divulgação/ND

Música, inovação e empreendedorismo são os três pilares do TUM Sound Festival, que será realizado de amanhã até 4 de novembro na Capital, com programação na Acate, Sebrae Lab, Teatro Pedro Ivo, Beira-Mar Norte e alguns bares da cidade.

Durante quatro dias, Florianópolis será o ponto de encontro de gravadoras, selos, editoras, programadores e produtores culturais, casas de shows, músicos iniciantes, amadores e profissionais da música. O objetivo é fomentar o ecossistema musical, conectando a cadeia produtiva da música e de redes criativas. Oevento irá reunir alguns dos mais importantes players e empreendedores da música do país. Além disso, serão realizadas oficinas em escolas públicas e também com pessoas com deficiência auditiva e visual. 

Com programação extensa, inclui Rodada de Negócios com mais de 20 profissionais convidados, dez palestras, oito workshops, seis painéis, três shows nacionais, além de muita música com 22 bandas se apresentando no Showcase durante o festival, como Orquestra Manancial Alvorada (Florianópolis), Brasil Papaya (Florianópolis), Não Alimente os Animais (Caxias do Sul), O Tarot (Brasília) e Jesuton (Rio de Janeiro), entre elas a banda mais votada pelas redes sociais do TUM Sound Festival, a Kia Sajo, também da Capital.

O TUM abre com a apresentação inédita em Florianópolis do show “Eu vou pro Samba”  de João Bosco e Hamilton de Holanda. O encontro dos músicos celebra os 100 anos do samba, na quinta (1), no Teatro Pedro Ivo, às 21h. Na sexta (2)  a cantora, compositora e rainha do soul brasileiro, Sandra de Sá, aterrissa na Ilha, em nome da União Brasileira de Compositores, para um bate-papo sobre carreira e direitos autorais, e faz show à noite no Jazzin Late Night Bar. No dia 4, às 20h, encerra a programação do TUM em uma apresentação no trapiche da Beira-Mar Norte, com entrada gratuita.

Na agenda ainda do evento estão ainda atividades como a oficina “Reutilização de materiais recicláveis para criação de instrumentos musicais”, o workshop sobre Discotecagem e a palestra “O valor imaterial da economia criativa” com Mario Lucio, cantor, escritor e pensador de Cabo Verde. O TUM é assinado pela É Show Produtora com o patrocínio da Ibagy Imóveis e Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Florianópolis..

Jesuton trará o disco
Jesuton trará o disco “Home” neste sábado (3), às 21h, no palco montado na Acate – Divulgação/ND

Jesuton é uma das atrações do evento

A cantora inglesa radicada no Brasil, Jesuton é uma das atrações do Showcase do TUM Sound Festival neste sábado (3), às 21h, na Acate. Conhecida antes por tocar nas praças do Rio de Janeiro e subir as músicas para a internet, ela foi revelada por um canal de TV. Ela traz o disco “Home”, produzido por Mario Caldato Jr. (Beastie Boys, Jack Johnson e Seu Jorge), que mostra um universo e a alma viajante.  Para o show, ela chega acompanhada de Bruno Silveira (bateria), Isaac Negrene (guitarra) e Robson Couto (baixo). Confira a entrevista:

Jesuton, você é inglesa. O que motivou sua mudança para o Brasil? Você veio sozinha?

Vim com meu namorado na época. Estava curiosa pelo Brasil, rolou uma atração pelo país de longe.

Em que ano foi? Nesta época, já veio com a intenção de seguir na música?

Em 2012. Sim, tinha a intenção e já havia experimentado outros caminhos antes, mas a chamada da música sempre foi mais alta.

As músicas que estão em “Home” são composições feitas especialmente para o disco ou tem algumas canções mais antigas?

Foram todas escritas em momentos distintos, fiquei escrevendo ao longo dos anos. Só mais pro final, nos últimos um ou dois anos quando estava já trabalhando com Bernardo Martins, que senti que as músicas estavam tomando forma de disco.

Quanto tempo você performou nas ruas? O que traz de melhor e de pior desta época?

Por volta de dois meses. O melhor foi ver de uma forma bem direta, o relacionamento emocional que os passantes tinham com o meu som. Me senti muito realizada em ver que podia fazer essas conexões íntimas com pessoas que foram além das barreiras normais de cultura e idioma. O pior talvez tenha sido a insegurança. Passei muito tempo achando que algum policial ia chegar e me prender… ou simplesmente que estava incomodando. A pessoa sai da Inglaterra, mas o jeito inglês.

Serviço:

O quê: Tum Sound Festival

Quando: 1 a 4/11

Onde: Acate, Sebrae Lab, Teatro Pedro Ivo, Beira-Mar Norte e alguns bares da cidade

Quanto: R$ 200+20 (taxa), passaporte para todos os dias, R$ 90+R$ 9 (1 dia)

Saiba mais:www.tumsoundfestival.com.br

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Música

Loading...