Brasileiro quebra recorde no mundial de natação aos 42 anos, entenda

Nicholas Santos ficou em segundo na final do 50m borboleta neste domingo, em Budapeste, na Hungria

O nadador Nicholas Santos conquistou a medalha de prata nos 50m borboleta pela terceira vez na carreira num mundial de natação. Aos 42 anos, o brasileiro aumenta sua coleção de pódios, além do recorde de atleta mais velho a conquistar uma medalha nesta competição. A enorme conquista veio neste domingo (19), na Duna Arena, em Budapeste, na Hungria. O norte-americano Caeleb Dressel venceu a prova.

Nicholas Santos (E), Caeleb Dressel (C) e Michael Andrew posam com suas medalhas após a final dos 50m borboleta no mundial de natação – Foto: Attila KISBENEDEK/AFP/NDNicholas Santos (E), Caeleb Dressel (C) e Michael Andrew posam com suas medalhas após a final dos 50m borboleta no mundial de natação – Foto: Attila KISBENEDEK/AFP/ND

A mesma Duna Arena já tinha visto Nicholas Santos brilhar. Em 2017, na mesma prova, só que aos 37 anos, Nicholas também conquistou a prata. Cinco anos depois, o brasileiro mostrou por que é uma lenda da natação e voltou ao pódio com a marca de 22s78.

Esta é a quarta medalha de Nicholas Santos em um mundial de natação de piscina de 50m. Além das duas conquistadas na Duna Arena, ele também possui uma prata conquistada em Kazan 2015 e um bronze em Gwangju 2019. Todas nos 50m borboleta.

Outras finais no Mundial de natação

Beatriz Dizotti e Viviane Jungblut estão na final dos 1.500m livre feminino. As nadadoras brasileiras garantiram seus lugares na disputa final da prova que será nesta segunda-feira, a partir das 13h (de Brasília. Beatriz, inclusive, com 16m08s35, quebrou o recorde brasileiro da prova que era de Viviane. Esta é a primeira vez que o Brasil tem duas mulheres em uma final de Campeonato Mundial de Longa.

No nado artístico, o Brasil está na final da Equipe Técnica. A seleção formada por Vitória Casale, Jullia Catharino, Rafaela Garcia, Luiza Lopes, Laura Micucci, Celina Rangel, Gabriela Regly e Anna Giulia Veloso garantiu a 12ª colocação nas eliminatórias e vai disputar a final. O Brasil não chegava a uma final de Mundial na Equipe Técnica desde Kazan 2015.

Medalhista olímpico brasileiro fora da final

Nos 200m livre, Fernando Scheffer nadou mais uma vez na casa do 1m46s. Na semifinal, esteve entre os primeiros colocados durante todo o percurso. No final, porém, acabou ultrapassado por seus rivais e terminou na 9ª colocação geral na prova em que ele conquistou o bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Natação

Loading...