10% dos consumidores da Grande Florianópolis ficaram sem água durante a estiagem

Segundo o monitoramento feito pela Casan, a última chuva significativa para os mananciais foi registrada há mais de quatro meses, no dia 28 de maio.

Após as chuvas no final de semana passado, não há previsão de novas precipitações nos próximos dias. O pedido da Casan (Companhia Catarinense de Água e Saneamento) para a economia de água continua. Nessa quinta-feira (10), oito bairros da Grande Florianópolis tiveram intermitência no abastecimento.

Os bairros atingidos pela suspensão temporária de abastecimento foram: Córrego Grande, Pantanal, Saco dos Limões (Florianópolis); Potecas,
Flor de Nápoles, Forquilha e Boa Vista (São José) e o Três Riachos em Biguaçu.

De acordo com a companhia, durante essa prolongada estiagem afetou cerca de 10% dos consumidores localizados em áreas mais altas e afastadas da rede de distribuição. Para evitar o desabastecimento doméstico, a Casan orienta que os usuários do serviço adquiram reservatórios de água.

A estiagem, que começou um pouco antes do inverno em Santa Catarina, afeta diretamente o volume de água dos rios. Segundo o monitoramento feito pela Casan, a última chuva significativa para os mananciais foi registrada há mais de quatro meses, no dia 28 de maio.

Leia também:

As chuvas entre os dias 4 e 6 passados representaram 12mm e, segundo a companhia, colaborou para que o sistema se estabilizasse, mas foi por pouco tempo. As altas temperaturas desta semana e a total ausência de precipitações não dão folga para a estiagem que continua agindo na região.

O rio Vargem do Braço, manancial responsável por grande parte do abastecimento da Grande Florianópolis, estava nessa quinta-feira 55% abaixo do volume normal.

Próximo do Vargem do Braço está o rio Cubatão do Sul, curso d’água também utilizado pela Casan para o abastecimento da região, encontra-se em situação de emergência, conforme o Aviso Hidrológico da Epagri/Ciram.

+

Notícias