7ª Corrida Maluca reúne moradores e pilotos criativos em Biguaçu

Atualizado

Moradores de Biguaçu e pilotos de todo o Estado se reuniram neste domingo (4) para a 7ª Corrida Maluca. O evento beneficente contou com 39 pilotos inscritos para a descida da rua Arnaldo Bunn, no bairro Vendaval. Para participar, era necessário levar um carro construído artesanalmente, com freios e sem motor. O valor simbólico da entrada era 1kg de alimento não perecível, arrecadado em prol do Lar do Idoso Osvaldo Alípio da Silva.

Inspirados nos tradicionais carrinhos de rolimã, participantes usam a criatividade para a descida da ladeira – Mônica Andrade/ND

Além dos alimentos, o evento oferecia o almoço carreteiro pelo valor de R$ 20, revertido para o lar de idosos. A iniciativa partiu do organizador do evento, Josirlei Coelho, e mais dois amigos, quem em 2013 desceram a rua em que moravam com carrinhos de rolimã e gravaram um vídeo, publicado nas redes sociais. A divulgação repercutiu acima do esperado e motivou o uso do entretenimento como forma de solidariedade.

Leia também:

Na corrida maluca, qualquer criação sobre rodas, e com freios, pode participar. Nesta edição, desceram a ladeira uma cama, uma caixa d’água, paleteira, esteira de ginástica e até uma caixa de cerveja, tudo adaptado ao tradicional carrinho de rolimã. Empresas da região também marcaram presença com carros feitos por funcionários, como a autarquia de resíduos sólidos Comcap e sua réplica de caminhão.

Com um carrinho de supermercado e outras sucatas achadas no lixo, o gari Denis Robson Klein construiu sozinho seu carrinho personalizado. – Mônica Andrade/ND

O valor da venda de bebidas no local também foi revertido para o asilo. A iniciativa altruísta dos moradores atrai moradores e pilotos de outras regiões. De forma simples, a atitude contribui para a prática da solidariedade pró-ativa, mobilizando a comunidade por um bem comum.

Geral