A fome nem sempre é fisiológica, pode ser emocional ou social

Quando cedemos à fome emocional geralmente caímos em um ciclo, no qual se busca sempre mais comida para obter bons sentimentos – Divulgação/ND

A fome é uma necessidade legítima de comida, mas muitas vezes pode ser confundida com apetite. A fome pode ser causada por diferentes razões, e a causa nem sempre é óbvia. A fome é normalmente referida como a sensação que você sente quando precisa comer. Às vezes, porém, podemos sentir fome, mesmo quando não precisamos comer ou tendo comido recentemente. Embora exista a fome normal, causada pela ausência de comida por um tempo, há várias razões pelas quais as sensações de fome ocorrem com mais frequência, são mais fortes ou se apegam a fortes desejos.

Vamos conhecer os diferentes tipos de fome e entender como você pode lidar com cada um de maneira natural e saudável – sem comer o tempo todo. O primeiro é a fome emocional, que leva a pessoa a buscar alimentos que trazem um conforto, uma sensação de bem-estar. Muitas vezes pode ser uma fome de cansaço, ansiedade, tristeza e até compensação (“hoje eu mereço comer isso”). Geralmente as escolhas por fome emocional são ricas em calorias, gorduras e açúcares.

A fome emocional é, de longe, a mais complicada, porque se mascara de fome fisiológica. Quando estamos com fome emocional não podemos realmente dizer se precisamos de alimento para energia ou se estamos usando alimentos para se acalmar e evitar dores. O prazer que obtemos ao comer esses alimentos geralmente dura pouco. Quando cedemos à fome emocional geralmente caímos em um ciclo, no qual se busca sempre mais comida para obter bons sentimentos.

Fome Específica: quando se tem vontade de comer determinada comida. Não é uma necessidade, é uma vontade, um desejo. Este tipo pode surgir muito forte e rapidamente, porque pode estar enraizado no passado e ligado a sentimentos. Esses podem ser bons ou ruins e nos levar a comer demais se não tivermos consciência. Por exemplo: a vontade de comer um brigadeiro de panela, comer uma canjica feita pela mãe…

Fome Social: pode ser confundida com a gula ou até uma compulsão. Estar numa festa, restaurante e não resistir às comidas. Festa de criança sem comer um brigadeiro? Cinema sem pipoca?

Fome Fisiológica: ocorre quando o corpo está com pouca energia e precisa obter mais combustível. É fundamental conhecer seus próprios sinais iniciais de fome, para que você possa saciar a sua fome de forma correta, balanceada e que deixe seu corpo nutrido e com energia. É a sensação normal causada pelo cérebro quando o estômago está vazio. Os sinais são diferentes para todos, mas geralmente incluem rosnados estomacais ou sensação de tontura ou irritabilidade.

Como controlar essa fome?

A fome específica surge quando se tem vontade de comer determinada comida. Não é uma necessidade, é uma vontade, um desejo. Divulgação/ND

Se for física, coma. Se não for e você estiver em busca de conforto, busque-o em outro lugar que não seja a comida, como encontrar um amigo, fazer yoga, andar de bicicleta, meditar, ouvir música, ver um filme ou ler um livro.
Se você ainda deseja um alimento específico, reserve um tempo para explorar exatamente o que está desejando.

É um alimento em particular? É algo doce, salgado, cremoso, crocante, quente ou frio? Se você está lutando regularmente para encher emoções desconfortáveis com comida, procure ajuda de um psicólogo, especializado em alimentação emocional que possa ajudar.

Inspira!