A responsabilidade com os pacientes das cidades vizinhas de Joinville

Durante uma conversa informal antes de conceder uma entrevista, o então prefeito Luiz Henrique foi questionado sobre a superlotação no Hospital Municipal São José, onde pacientes pernoitavam em macas nos corredores. A única forma de acabar com isso, respondeu ele, é fechar as portas, “mas isso jamais farei”, respondeu.

Hoje, a longa fila de espera por consultas de alta complexidade na Secretaria da Saúde só tem uma forma de diminuir rapidamente e beneficiar o joinvilense: priorizar o atendimento para quem mora no município. E os nossos vizinhos? A responsabilidade é do governo do Estado. A decisão de suspender as consultas às prefeituras da região no Hospital Municipal São José é de atender o joinvilense, depois os vizinhos, justificou a Secretaria Municipal da Saúde.

É claro que não estão incluídos os casos de emergência, como internação nas UTIs. Não seria justo o joinvilense contribuir com a receita (impostos) e a Prefeitura o colocar em igualdade de condições dos nossos vizinhos. Aliás, este foi um dos temas abordados pela coluna em 2011: a responsabilidade da Secretaria Municipal da Saúde é atender ao joinvilense. Atender aos nossos vizinhos é obrigação da Secretaria Estadual de Saúde, que em Joinville tem o Hospital Regional Hans Dieter Schmidt.

Correção
Os números corretos sobre o polêmico caso dos médicos residentes do Hospital Municipal São José: eram 56 inscrições para 2016, mas só 18 delas foram confirmadas. As outras 38 inscrições foram suspensas porque o Ministério da Saúde não iria repassar os recursos. A Secretaria Municipal da Saúde precisa iniciar uma mobilização para que o “São José” retome sua condição de “Hospital Escola” para ter um aumento no repasse e no número de residentes de primeiro ano (R1).

Frase
“O serviço de residência não será extinto. Não teremos prejuízos no atendimento porque temos um corpo clínico (médicos) que continuará prestando os serviços à população, além dos demais residentes existentes”.
Prefeito Udo Döhler, ao comentar a redução de 56 para 18 o número de médicos residentes (R1) no Hospital Regional.

Antônio Gonçalves/divulgação/ND

Fim de tarde da última segunda-feira (8) na praia da Enseada, em São Francisco do Sul

Fim de tarde
O músico e fotografo Antônio Gonçalves registrou o fim de tarde da última segunda-feira (8) na praia da Enseada, em São Francisco do Sul, que tem sido cenário de suas fotografias.

Confronto no Carnaval
Alguns participantes do Carnaval na “Prainha”, em São Francisco do Sul, e dois policiais militares ficaram feridos depois de um confronto na segunda-feira. A cavalaria da PM foi chamada por moradores e foi recebida com copos, latas e garrafas de cerveja no início da madrugada. Em resposta, a PM utilizou spray de pimenta e balas de borracha.

Carlos Junior/arquivo/ND

Roberto Bisoni vai para o PR, mas não vai concorrer à reeleição

Mudanças de partido
Ainda não há definição, mas os três vereadores que estão sendo expulsos do PSDB por não aceitarem a orientação da executiva para beneficiar Odir Nunes e Maykon César nas comissões técnicas, deverão ir para partidos diferentes. Roberto Bisoni vai para o PR, mas não concorrerá à reeleição. Vai apoiar seu filho como candidato a vereador. Maurício Peixer deve ir para o PSD. Fabio Dalonso ainda não se decidiu. Em março haverá a janela para mudar de partido sem punição.

Semiaberto
Apontado como líder da facção criminosa PCC, Claudinei Rengel foi beneficiado pelo regime semiaberto entre o Natal e o ano novo de 2014. Ele estava no Presídio Regional e não mais retornou. Neste período de “liberdade” deve ter conhecimento de alguns homicídios.

Nova equipe
O novo delegado regional de polícia, Akiro Sato, deve anunciar em breve sua “dança das cadeiras” em Joinville. A troca de delegados já está no forno e deve incluir também a DIC (Divisão de Investigação Criminal). A coluna tentou um contato com o delegado Sato e não conseguiu. Não retornou a ligação até o fechamento da coluna.

Luiz Verissimo/ND

Ex-jogador da base
Aos 43 anos, Argemiro Veiga Gonçalves, ex-jogador do JEC é um empresário bem-sucedido em Cascavel (PR). Veiga começou na base do JEC e se transferiu ainda jovem para o Basel da Suíça, depois de ser campeão sul americano de Júnior em Itajaí (1992). Na Europa começou uma carreira vitoriosa que passou pelo México, onde disputou três libertadores. Seu último clube foi o Coritiba em 2008. Dono de uma transportadora e uma fazenda em Cascavel, Veiga tem apartamentos em Jurerê (Florianópolis) e Balneário Camboriú. Depois de Ramires, ainda em atividade, é o ex-jogador do JEC mais bem sucedido financeiramente.

Lançamento
Confirmado o lançamento do livro “O Pinho Toca Forte – Histórias do Violão Joinvilense”, Será na próxima segunda-feira (15) na Estação da Memória. Escrito pelo jornalista Guilherme Diefenthaeler, o livro apresenta episódios, narrativas e entrevistas com personagens deste instrumento em Joinville. Na noite de autógrafos, às 19h30, alguns deles retratados no livro prometem uma “canja”, além de um breve bate-papo sobre a trajetória de cada um.

Mural

– Depoimento do médico José Aluísio Vieira (Dr. Xuxo) no Facebook contra o cancelamento da contratação dos médicos residentes rendeu mais de 700 compartilhamentos.

– Os adversários do prefeito Udo Döhler não perderam a oportunidade de “faturar” sobre o polêmico assunto.

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.